Sem coragem

CuriosoCMMG, Mercado, PS8 Comentários


A questão do mercado e a sua localização foi decidida há uns meses. Não se fez nada desde então, mas a decisão deverá ser a final. Há, no entanto, ainda aspectos que vão surgindo que mostram o qual mal o assunto é encarado por alguns. Sabe-se que o mercado no Atrium foi projectado e construído enquanto esteve à frente da câmara o PS. Por razões que foram já sobejamente faladas, o mercado não avançou. Se alguém poderia acusar o PS de ter feito a obra e não ter dado continuidade ao que projectaram seria a oposição. Mas não! Há umas semanas o Vicente afirmou que, em relação ao mercado não estar no Atrium, “quem deveria ter tido a coragem de o pôr a funcionar era quem o construiu e não ouviu as pessoas“. Ou seja, atirou para cima do Órfão, do Constâncio e do próprio PS a responsabilidade de não terem avançado com o mercado por falta de coragem! É uma afirmação que se vira para dentro do próprio partido e que atribui o muito que ali foi gasto e está ao abandono à falta de coragem dos seus pares. Mas a posição do Vicente quanto à construção do mercado não deixa de ser interessante. Diz ele que “até se poderá fazer um edifício que hoje seja mercado e que de futuro, quando não interessar o mercado, poderá ser outra coisa, por exemplo um pavilhão multiusos”. ‘Quando não interessar o mercado’? Então o PS acha que se pode avançar com uma obra que dentro em pouco já pode não interessar?! Se, segundo ele, quem construiu o Atrium não teve a coragem de o pôr a funcionar, fica a dúvida se será coragem ou estupidez construir um mercado que dentro em pouco já pode não interessar?


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

8 Comentário em “Sem coragem”

  1. Avatar

    Até que enfim, vê-se o Vicente a emitir um raciocínio desapegado do partido. Estou completamente de acordo.Todos sabemos que o mercado do Atrium foi construído naquele local porque todos os partidos quiseram que assim fosse. Depois de construído, já não servia para os partidos que ali permitiram a sua construção. Por isso o Vicente tem razão. O que é que nos garante que depois de outro mercado construído, aqueles que agora fazem força para que ele se construa, depois não digam que a obra acabada de construir já não serve. Razões para a rejeição, já se viu que são fáceis de arranjar, basta encontrar as pessoas certas, as que contribuíram para que o Atrium não abrisse e que, sem um pingo de vergonha na cara, fecham os olhos ao asqueroso “mercado” das tendas ( aposto que não vão lá comprar nem peixe nem carne. Aposto também que esse tipo de gente era capaz de vender a alma ao diabo só para colherem vantagens políticas. O interesse dos marinhenses é aquilo que menos lhes interessa.
    Tão céleres a declararem o Atrium impróprio para mercado por causa de pequenos pormenores e agora não se atrevem a chamar a ASAE para inspeccionar a aberração que elegeram para mercado dos marinhenses. Se estivesse no lugar deles escondia-me.

    1. Avatar

      Mas porque é que o Abrolhos não chama a ASAE? Uma denúncia anónima é o suficiente. Foi o que fez o PS para fechar o mercado na Resinagem e resultou! A ASAE apareceu e fechou aquilo!

  2. Vilas

    A culpa não será de A, B, C ou D! A culpa é de todos os que se sentaram nas cadeiras de decisão da autarquia. Todos foram eleitos para resolver os problemas dos marinhenses. E mais, receberam para isso! Logo todos fizeram um péssimo trabalho à comunidade! Nem fizeram, bem desfizeram.

    Por vezes uma indecisão é (muito) pior que uma má decisão! E quem sabe…falta de coragem!

  3. Avatar

    “Se a incoerência matasse, o Presidente não eleito da Câmara, já seria cadáver.
    Paulo Vicente, na qualidade de destacado militante do PS, à data presidente da Junta de Freguesia da Vieira e deputado na Assembleia Municipal nessa qualidade, participou ACTIVAMENTE, quer na discussão interna dos programas eleitorais do seu partido, quer nas decisões deliberativas da Assembleia Municipal, votando sempre favoravelmente a construção do Mercado Atrium naquele local e com aquele modelo.
    Tanto ele como João Paulo Pedrosa, que fez do Atrium uma das suas bandeiras de campanha, foram fervorosos defensores do Mercado e participaram na campanha eleitoral de 1997, distribuindo panfletos com maquetas do Mercado na antiga Abrigada, o que terá contribuído para a esmagadora vitória do PS por uma larga maioria absoluta. Nesta consulta eleitoral, em que participaram mais de 15.000 eleitores, o Atrium foi estrela e foi sufragado por mais de 6.000 eleitores.
    Agora, estes aprendizes de autarcas, pagam a uma empresa para ouvir a população e fazem um inquérito à medida para decidir a localização do mercado, ouvindo 300 pessoas e dando como alternativa uma propriedade privada ( a Ex- FEIS), o espaço na Zona Desportiva onde estão as barracas, que integra o Plano de Pormenor da Zona Desportiva, onde é impossível construir e o Estaleiro da Câmara, impedindo as pessoas de se pronunciarem quanto ao Mercado já existente no Atrium, porque deram ordens para que não fosse colocado como alternativa.
    Aos autarcas, para além da competência e honestidade, exige-se carácter e quem assim procede, no exercício de um cargo de responsabilidade política, não é digno do respeito, nem da confiança política dos eleitores, porque carácter é qualidade que não consta do seu currículo.”

    1. Avatar

      Este post não é anónimo.
      Eu não me escondo por detrás do anonimato.
      Foi publicado por mim, na minha página do Facebook e daí retirado para aqui, por alguém.

  4. Avatar

    É uma vergonha.
    O Atrium tinha condições (com pequenos ajustes) para ser um bom mercado. O PS aqui esteve e está mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address