PS

Com os partidos a afinarem as máquinas de campanha, começa a ver-se quem serão aqueles que irão estar mais activos. Aqui podem chamar-se os conceitos de ‘activo tóxico’ para definir alguns dos que poderão trazer mais mal do que coisas boas. Em todos os partidos há aqueles que surgem e que deveriam vir discriminados na secção das ‘contra-indicações’, tal é o efeito negativo que provocam. Uma das pessoas que tem hipótese de ser eleita é a Cidália. Apesar de ter tido um mandato que não lhe dá motivos de orgulho, tem uma máquina partidária que lhe dá algum conforto. O problema surge quando se vê quem são os mais directos apoiantes que, como a história conta, nunca conseguiram granjear muitos apoios junto da população. O tom provocatório com que alguns (um em especial) se dirigem à oposição é o que a Cidália menos precisa. A forma como ela poderá conduzir a campanha e ter um resultado que lhe agrade será se conseguir manter-se afastada de polémicas, de provocações e de comportamentos típicos de claques de futebol. Cada vez que isso não acontece, a candidata perde. Há, para além disso, a posição que alguns foram assumindo quando o Costa concorreu à liderança do partido que não faz com que tenham muitos apoiantes no seu seio. O bulying, que parece ser a imagem de marca de certos apoiantes da Cidália, que vai sendo mostrado nas redes sociais será o que poderá deitar tudo a perder. O que ontem aconteceu com o pacto territorial mostrou já isso com as reacções que pouco tempo depois começaram a surgir. A continuar assim, a Cidália poderá ter problemas ainda mais quando começam a surgir zum-zuns de que pelos lados de Lisboa há certos comportamentos que não são apreciados, comportamentos que vêm de quem até nunca conseguiu ganhar eleições. Todos os partidos têm aqueles que trazem consigo mais as contra-indicações do que benefícios. Alguns parecem estar tão lá em cima que não vêm o que se passa cá em baixo!


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

2 comentários

  1. Como toda a população sabe é mais uma campanha, em que vão surgir promessas, de toda a ordem, e de todos os quadrantes politicos intervenientes. Sabemos como muitos, se recandidatam com a maior cara de pau e enfrentam uma vez mais os seus eleitores sem terem cumprido minimamente o que prometeram nas eleições anteriores. Sei que o espetro é o mesmo, mudando no entanto a roupagem, para que aos olhos de quem vota se discutir, que não foi aquele que prometeu , foi o outro, Uma forma peculiar e hipócrita de ludibriar quem sériamente necessita no dia a dia de ter uma qualidade de vida melhor numa cidade das mais industrailizadas do nosso País .Os problemas que haviam são os mesmos que hoje temos, porque em abono da verdade, este mandato foi passado com quesilias internas e de gabinete,tendo os eleitos esquecido de imediato as promessas feitas a quem os elegeu, trocando-as por degladiação interna . Penso que a Marinha necessita com urgencia de uma desinfeção politica , que venha dar uma lufada de seriedade ao ambiente politico da nossa terra. Quanto aos candidadtos, ora nomeados pelos diversos partidos, entendo que todos eles têm boas intenções, de servir o povo o melhor que sabem,,mas… lá está, As comissões concelhias de seus partidos é que mandam na sua vontade , depois de eleitos, e creio que muitos dos que mandam e dão ordens na autarquia , nem sequer se mostram ao povo, e nem este os conhece São a sombra dos autarcas… Uma pena

  2. Era bom que assim fosse,,, as comissões concelhias a dar indicações e os eleitos a seguir as mesmas. O único partido que segue e mal essa regra é o PCP. Quanto ao PS parece-me que tem sido ao contrário e foi parca a informação para dentro do partido. Dos independentes… manda o chefe e mais nada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário