Lido por aí XCVII

CuriosoConstâncio, Mercado27 Comentários


«A Câmara Municipal da Marinha Grande aprovou por maioria, com 5 votos a favor e 2 votos contra, na sua reunião extraordinária realizada no dia 1 de março, iniciar o procedimento de elaboração do projeto para a construção do futuro Mercado Municipal.
Na referida reunião, foi analisado o relatório final do estudo de mercado encomendado pelo executivo permanente para avaliação da satisfação das necessidades dos inquiridos em relação ao novo Mercado Municipal, nomeadamente dimensão, modelo e localização, do qual resultam as seguintes conclusões:
Quanto à dimensão, a maioria dos inquiridos prefere um Mercado maior que o atual (69%),
Quanto ao modelo, a maioria prefere ter um mercado todo o coberto (71%),
Quanto aos diferentes tipos de equipamento / bancas existentes, a maioria prefere um mercado com mais equipamentos (83%),
Relativamente à localização, a maioria dos inquiridos (entre comerciantes do mercado, clientes do mercado e residentes) prefere a localização atual, ou seja nas imediações da zona desportiva (91%), sendo que os “outros comerciantes” dão preferência às antigas instalações da Fábrica Esola Irmãos Stephens (95%),
Os bares / cafés / restaurantes são os equipamentos cuja existência é considerada mais importante no futuro mercado (3.72 numa escala de 1 a 5).
A informação foi recolhida através de entrevistas diretas e pessoais na residência dos 400 inquiridos com mais de 18 anos, nos quais se integraram atuais comerciantes, outros comerciais e potenciais vendedores do futuro equipamento, atuais clientes do mercado e outros residentes no concelho, em total privacidade, com base em questionário elaborado pela empresa GfK, realizadas entre os dias 8 e 11 de dezembro.
O estudo de mercado cujas conclusões foram agora apresentadas foi realizado com base na pluralidade de opiniões quanto à localização, dimensão e modelo de uma nova infraestrutura.
Recorde-se que o Mercado Municipal da Marinha Grande, localizado no Edifício da Resinagem, foi encerrado em 2007 e que, desde então, tem funcionado provisoriamente em tendas.

ATENTEMOS NESTA PRECIOSIDADE:

A CMMG, pagou por esta coisa uns milhares de euros e chama-lhe “ESTUDO DE MERCADO PARA A NOVA LOCALIZAÇÃO DO DITO”
Ficamos a saber que de um universo de cerca de 38.000 habitantes (mais coisa menos coisa), ouvir 400 pessoas, entre elas actuais vendedores, actuais frequentadores, potenciais novos vendedores???(como é que os identificaram?), outros comerciantes??(quais? (os do Atrium directamente prejudicados e enganados?) e cerca de 215 residentes, terá sido suficiente para que uma maioria de 5 autarcas decida mandar para o lixo o investimento feito no Atrium e se proponha derreter cerca de TRÊS MILHÕES DE EUROS a fazer outro mercado.
Bravo. Decisão corajosa.
Atentemos na tremenda fraude em que tudo isto está envolvido.

1.º – DERAM ORDENS À EMPRESA PARA NÃO COLOCAR O MERCADO ATRIUM, JÁ CONSTRUÍDO, COMO UMA DAS OPÇÕES;
2.º – IMPEDIRAM QUE O ATRIUM FOSSE VISITADO, PARA AS PESSOAS PUDESSEM VER O QUE ESTÁ CONSTRUÍDO E PRONTO A USAR.
3.º – FIZERAM PASSAR A IDEIA DE QUE O ATRIUM NÃO TINHA CONDIÇÕES PARA FUNCIONAR, PORQUE O QUE AS PESSOAS QUERIAM ERA UM MERCADO POPULAR, DE RUA E DAVAM EXEMPLO DO DE PATAIAS, DAS CALDAS, ETC.
4.º – NESTA PRECIOSIDADE DE TEXTO QUE PUBLICARAM NA PÁGINA DA CMMG DO FACEBOOK, OMITIRAM UMA PERGUNTA, QUE ERA ESTA: ” O que o faria passar a frequentar regularmente o mercado” – ENTRE VÁRIAS OPÇÕES, PREÇOS, ESTACIONAMENTO, ETC. AS PESSOAS RESPONDERAM – 37% MELHORES CONDIÇÕES, 3% LOCALIZAÇÃO.
5.º – NÃO É VERDADE QUE 91% DOS INQUIRIDOS PREFIRA O MERCADO NAS PROXIMIDADES DO LOCAL ONDE ESTÁ. ESSA PERCENTAGEM É REFERENTE AOS ACTUAIS COMERCIANTES E ACTUAIS FREQUENTADORES, QUE NÃO FORAM OUVIDOS EM CASA, FORAM OUVIDOS JUNTO AO MERCADO, no total só 57% se pronunciam nesse sentido.

Mesmo sendo a amostragem RIDÍCULA e manipulada, olhemos para o que nos diz.

– 69% prefere um Mercado maior (claro), mas o Atrium é MAIOR.
– 71% quer um Mercado totalmente COBERTO, o Atrium é.
– 83% quer um Mercado com mais equipamentos. O Atrium tem.
– Quanto ao factor localização, à pergunta “o que é que o faria frequentar regularmente o mercado, as pessoas dizem:- 3% LOCALIZAÇÃO, – 37% MELHORES CONDIÇÕES. O Atrium tem.
Da ficha deste “estudo” verificamos que só 60 pessoas com menos de 34 anos foram inquiridas. A média é superior a 54 anos.

Podem tentar distorcer, manipular, enganar, mas pergunte-se aos marinhenses se preferem, pelo menos, TESTAR o Atrium e investir os 3 MILHÕES nas piscinas, no reforço do abastecimento de água, no saneamento ou no acabar a Zona Desportiva, que pode ser o ex-libris da cidade.

Autarca que se associa a este desperdiçar de dinheiro, ou é incompetente e irresponsável, ou tem razões obscuras que o levam a utilizar os nossos impostos em inutilidades.
UMA VERGONHA»

Autor: Armando Constâncio

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

27 Comentário em “Lido por aí XCVII”

  1. Avatar

    Eu gostava de saber mas porque e que uma Câmara em pleno século 21 tem obrigação de construir um mercado com dinheiros públicos que só abre três manhãs por semana? Não existem outras formas de garantir o abastecimento de alimentos a população? Será para ajudar os vendedores que não são de cá? Gostava de saber quais as idades das pessoas que frequentam o mercado, será que viram isso no tal “estudo”? E que acho que daqui a 10 anos não deve la ir ninguém e ficamos com mais um mono a gerar despesa corrente e já temos alguns

  2. Avatar

    Anónimo, se o mercado continuar como está pode ter a certeza que as gerações mais novas não o irão utilizar. Mas apresentem um mercado moderno (como de certeza o do Atrium seria) e a tipologia de vendedores e compradores irá sofrer alterações.

    Esta questão do mercado é vergonhosa, é um deitar de dinheiro à rua por causa de uma imbirração de 1 ou 2 partidos políticos e a inércia/aproveitamento de outros. Se os equipamentos do Atrium não serviam para o nosso mercado porque é que serviram para o mercado da Vieira? O Atrium não tinha condições? então o que dizer das actuais instalações?

    Continuamos a ter uma câmara e oposição que se importam mais com desfazer e mal dizer do trabalho dos outros, com ataques pessoais e maldicência, do que com a verdadeira resolução dos problemas desta cidade.

    Em pleno Sec. XXI uma cidade, sede de concelho, consegue ter infraestruturas mais deficientes e pobres do que as freguesias sobre a sua alçada.

    Tenham vergonha, deixem-se de guerrinhas de escola primária, cresçam e trabalhem.

  3. Avatar

    Em relação à insistencia no tamanho da amostra da sondagem feita, só gostava de saber qual foi a nota da cadeira de estatistica do curso do Sr Armando Constancio.

  4. Ernesto Silva

    A nota da estistica foi a do trabalho sério e cumpridor, e tudo o que nos está a ser demonstrado com clareza o génio dos artistas que conseguiram travar um investimento que foi aprovado por todos Cãmara e Assembleia Municipal. Em lado algum se assistiu ao salto de etapas para este projecto ser concluído.Organizado e bem apresentado. Os eleitores ao elegerem aquele executivo demos-lhe o aval democrático para fazerem o melhor pela Marinha. E foi feito mas alguns que foram eleitos que poderiam ter chumbado tudo o que foi apresentado dedicam-se agora a demonstrar o que para eles representa a democracia. A democracia só é boa se satisfizer o ego de alguns entre os quais se destacam os que hoje dominam o executivo camarário. A inutilidade assenta-lhes bem, mas existem mais do mesmo género. A Marinha está como alguns membros de alguns partidos desejam. Silêncio para não acordarem os cães.

  5. Avatar

    Não, Ernesto, você não respondeu à minha questão. Mais ainda, pergunto quais foram os resultados do inquérito feito pelo então vereador responsável

    1. Avatar

      Tenho sempre alguma dificuldade em argumentar com anónimos, mas vou tentar.

      O que é que não percebeu do relato cronológico QUE PUBLIQUEI, de todas as decisões e deliberações, desde 1994 até 1996?

      Da leitura das transcrições das actas, vê lá o meu nome a defender, e bem, as deliberações sobre o Atrium? Quem o fez sempre e de forma irrepreensível foi o Presidente da Câmara, como é regimentalmente o seu dever.

      Faça como eu. Vá à Biblioteca Municipal e consulte todos os jornais da Marinha Grande, de 1994 a 1997 e verificará que nunca nenhuma obra foi tão escrutinada como esta.

      Não sei se é da ala Pedrosista do PS, mas aconselho-o a consultar o programa eleitoral do PS em 1997. O Atrium estava lá, já com direito a fotografia da maqueta, foi amplamente divulgado em acções de campanha dentro da Resinagem, aos sábados e o PS GANHOU essas eleições com a maior maioria absoluta de sempre. QUER MELHOR SONDAGEM?

  6. Nos 10 anos passados, só agora querem o mercado no Atrium ?…já no inicio de 2014 , o Presidente A.P. disse numa das sessões : MERCADO NO ATRIUM ESTÁ FORA DE QUESTÃO.
    Se alguém insiste tanto no local, poderá candidatar-se às próxima eleições deste ano que está a correr, e depois tentar mudar as opiniões das 400 pessoas. Em democracia, deve-se ter em conta os resultados de uma sondagem pública, e aceitar o resultado que aparecer, porque tal como o atual presidente P.V. disse : O POVO É QUEM MAIS ORDENA… e está tudo dito !

    1. Curioso

      Caro anónimo. Sem que com a questão que vamos colocar queiramos defender o mercado aqui ou ali, mas onde ficam as promessas de discussão pública sobre a localização do mercado que foram sendo feitas?

    2. Avatar

      Já agora e também para memória futura, vou reproduzir os textos de duas declarações de voto dos 3 vereadores do PS e outra do ex-presidente João Barros, relativamente à decisão da ALIANÇA PCP/PSD ter inviabilizado a abertura do Atrium:

      – ACTA N,º 7 DE 30.03.2006 DA CMMG. PONTO 7

      – DECLARAÇÃO DE VOTO DOS VEREADORES DO PS:

      “Votámos CONTRA porque a proposta do Sr. Presidente, de indeferimento, não resulta de nenhum normativo legal, resulta apenas de uma decisão sua. Tal facto deve-se a que no Relatório da Vistoria são apenas apontadas necessidades de acerto de pormenor facilmente sanáveis. Se assim não fosse, no nosso entender e na posse deste auto, o que se devia fazer era questionar os técnicos da DLOP que elaboraram o parecer técnico para aprovação da Câmara, no sentido de aferir se havia incumprimento de normas legais. Não o fazendo e estando o projecto executado de acordo com o seu licenciamento, NÃO HÁ NENHUMA RAZÃO LEGAL PARA ESTA DECISÃO.
      Este processo foi licenciado pela Câmara na base de pareceres técnicos da DLOP e a obra acompanhada pela chefe da DEM ( Div. de Equip. Municipais).
      Não está no processo da obra, qualquer alusão por parte destes técnicos a quaisquer inconformidades da obra, nem nenhuma proposta da Câmara com vista à sua alteração.
      Neste sentido, a proposta de decisão do Sr. Presidente é apenas e exclusivamente ditada pela sua vontade, SEM QUALQUER FUNDAMENTO LEGAL”. – fim de citação –

      Se não me engano, para além de João Paulo Pedrosa, assinaram esta declaração de voto o actual Presidente não eleito e a vereadora Cidália, exactamente os mesmos que estão a cometer uma ilegalidade IGUAL à do João Barros. ( Mudam-se os tempos mudam-se as vontades)

      A declaração de voto do presidente de então, João Barros Duarte, é uma pérola. Para justificar não abrir um equipamento, que quer o seu partido, PCP, quer o do seu amigo Artur de Oliveira, PSD, permitiram que se concretizasse, entre 1994 e 1997, quando tinham maioria ABSOLUTA, na Câmara e na Assembleia, argumentou com o seguinte:

      – ” Votei favoravelmente a proposta de indeferimento por várias razões, entre elas as seguintes:
      “Do que me foi dado constatar das visitas que fiz ao local foi a evidência da falta de operacionalidade do espaço para poder servir de mercado municipal. Não tem acessos fáceis, não tem elevadores ( isto é mentira, existem 2 elevadores para os clientes, mais uma escada rolante e mais um elevador monta-cargas grande para os comerciantes), não tem espaço definido para para cada uma das mercadorias ou produtos a vender (FALSO, FALSO. Basta ver as fotos do Atrium. Tem tabuletas nos corredores a indicar ou Fruta, ou Peixe, ou Pão, etc. MENTE DESCARADAMENTE E SEM VERGONHA), o que coloca além de outros problemas, o da falta de salubridade e de defesa da saúde pública. Por outro lado são unânimes os pareceres das diversas entidades que procederam à vistoria que aquele espaço não reúne as condições para servir de mercado municipal, apontando-lhe as violações da legislação e citando esta em que apoiam o seu parecer. ( ISTO É COMPLETAMENTE FALSO. A COMISSÃO DE VISTORIAS ATESTOU QUE O EDIFÍCIO ESTÁ CONSTRUÍDO DE ACORDO COM O PROJECTO E SÓ NUM “RELATÓRIO DO ARTUR FELISBERTO E DO VETERINÁRIO, QUE ESTRANHAMENTE SÓ FOI FEITO NO DIA A SEGUIR A ESTA REUNIÃO, CERTAMENTE POR ENCOMENDA, SE FALA DO TECTO FALSO, DOS PASSEIOS SEREM ESTREITOS, blA,BLA, BLA, SEM UMA ÚNICA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL). ” E ainda porque é unânime (???) entre a população, vendedores e utentes, de que as instalações não reúnem as condições indispensáveis para nelas poder funcionar o mercado municipal. Aliás o próprio projecto não foi executado como inicialmente estava previsto e aprovado, nem as alterações foram aprovadas pela Câmara, ou por qualquer responsável autárquico. ( ISTO É FALSO E DESMENTIDO PELO PRÓPRIO RELATÓRIO DE VISTORIA QUE ESTÁ APENSO A ESTA ACTA).

      Se os gestores deste blog o permitirem, pode ser publicado o relatório de vistoria, bem assim como duas folhas de papel escritas no dia seguinte, a pedido, para o Presidente se agarrar a elas, sem qualquer validade jurídica/legal, porque nem um dos reparos diz que lei viola e se é sanável ou não.

      Pessoalmente, sempre tive estima e consideração por João Barros Duarte, que conheço bem desde os meus 15 anos. Mas o político que escreveu isto já não estava na posse de todas as suas faculdades mentais e tem desculpa, ou então, o ódio a quem o derrotou em eleições sucessivas, cegou-lhe o raciocínio e levou-o a mentir despudoradamente.

      Estranho, muito estranho, é que responsáveis do PS, que não só fizeram aquela declaração de voto, mas participaram activamente no projecto de Mercado no Atrium, acabem por sancionar o ranho que está transposto na decisão do PCP/PSD.

    3. Avatar

      Caro anónimo

      O Dr. Álvaro Pereira, em 2009, teve a amabilidade de me telefonar a pedir apoio para a sua candidatura. Não lhe perguntei, mas deu-me conhecimento de quem ia convidar para o seu staf.
      Das três pessoas que me falou, uma era a Dr.ª Teresa Coelho. Quanto a esta, dei-lhe a minha opinião, que ia no sentido de não o dever fazer, porque a opinião pública ia sempre dizer que quem manda é a patroa e não ele, mas não condicionei o meu apoio e dei-lho, publicamente.
      No segundo mandato, já não me ligou, mas liguei-lhe eu, porque soube que o PS ia abandonar o Mercado no Atrium e perguntei-lhe porquê.
      A resposta, que divulgo porque não me pediu sigilo, foi que era uma imposição do João Paulo Pedrosa, porque dizia que perdeu as eleições por causa do mercado.
      Está explicado. Maldito mercado que não deixou o Dr. João Paulo ser Presidente da Câmara.
      Assim vai a Marinha.

  7. Ernesto Silva

    A partir do momento em que elegemos com o nosso voto um executivo a resposta está dada. Os passos dados para aprovação deste mercado do Atrium foram dados na Câmara, na A.M. e aqueles que em nome do povo poderiam te^-lo chumbado não o fizeram. Porque? Que interesses obscuros tinha em mente ao não chumbarem como eles qualificaram um bom negócio. Tremeu-lhes a mão no acto de assinarem ou ainda usam cueiros para mais tarde como se está a agora a verificar começarem a colocar pedrinhas nos carris da verdade? Os colocadores de pedras no caminho como os deste executivo são cá uns artistas que nem valia de valer. Sabe como o Ruas de Viseu agora eurodeputado pelo PPD respondeu aos funcionários do ambiente que iam corrigir uma anomalia naquela cidade “CORRAM-NOS À PEDRADA”. Era O QUE já deveríamos ter feito há mais tempo.

  8. Avatar

    Pois no período 1994 – 1977 ninguém me perguntou onde eu achava que deveria ficar o mercado.

  9. Ernesto Silva

    Sr. anónimo das 15H43 no periodo de 94 a 97 pela falta que apresenta poderiam ter-lhe construído o mercado no seu páteo. Assim já não saía de casa. Parabéns pela sua democracia e para a próxima esteja atento às consultas públicas e atento a tudo o que diga respeito à cidade. Homens como você são precisos para os meter na linha. Aliás para a próxima proponho já que cada um seja ouvido em sua casa e ao sairem tem que assinar a folha de presença dos entrevistadores, auditores ou quejandos.

    1. Avatar

      Tem graça. Diz que entre 1994/1997 ninguém lhe perguntou onde queria o mercado. Essa é bizarra.
      O caro anónimo vota?
      No n/ concelho, salvo erro, são perto de 30.000 que têem direito a voto. Os partidos concorrem com programas. No programa do PS em 1994 já estava prometido o Novo Mercado para um local o mais próximo possível do Centro e o PS ganhou com maioria relativa.
      Em 1997, já com o terreno da Abrigada e com tudo aprovado pela Câmara e pela Assembleia, também com os votos do PCP/PSD, que tudo viabilizaram, fez-se o programa eleitoral já com fotos do Atrium e o PS ganhou com a maior maioria absoluta. Não sei em quem votou, nem me interessa, mas mais de 7.000 marinhenses votaram PS. Queria que o ouvíssemos em sua casa?
      Agora (dizem) que ouviram 400. A mim, ninguém me veio perguntar nada, nem a ninguém da minha família, nem a nenhum dos meus amigos ou conhecidos.
      Democracia isto?

  10. Avatar

    Façam lá a estátua ao Constâncio a ver se ele se cala.
    Candidate-se pelo seu movimento e então intervirá como eleito. Tem medo de não ser eleito?
    Ou a democracia só é boa quando fazem as coisas com as quais concorda?

    Já mete nojo a defender o mercado naquele lugar sem acessibilidades e onde contribuiu para esbanjar milhões.

    1. Curioso

      Caro anónimo. Sem que nos caiba defender quem quer que seja (e nunca o fazemos), podendo ter sido gasto muito dinheiro no Atrium, estar a avançar com um novo mercado – cuja execução temos dúvidas algum dia tenha início – assente num estudo, que de estudo parece ter muito pouco, não será cair no mesmo ‘erro’?

    2. Avatar

      Quer-me ver calado? Não é o único, mas pode esperar sentado.
      Quem contribuiu foi o PCP/PSD, que, com maioria, ajudaram a aprovar todas as deliberações da Câmara e da Assembleia Municipal.
      Eu sei que para si é chato, mas é assim.
      O Atrium só existe porque o PCP e o PSD assim quiseram.
      Se continuar com muita azia, o Heno ou a Alkaselzer estão disponíveis na farmácia, mas não são comparticipados.

  11. Avatar

    Marisa Oliveira, ainda não percebeu que as gerações actuais, não frequentam este tipo de mercados? Dê exemplos de mercados de frescos que funcionem! O do Pingo Doce, do Intermarché do Continente, ALDI ? Estes sim e… das 9h00 às 22h00! Não estou a ver quem vai ao mercado! Ser´que vale tamanho investimento? E sinceramente, não ouço nenhuma voz que dê de forma segura o seu aval à sua construção! Pelo menos no meu grupo de amigos.

    Senhor Armando Constâncio, tive a oportunidade de ler o estudo encomendado pela câmara (que terá custado os olhos da cara!), e creio que não é preciso ter “boa nota na cadeira de estatística”, para perceber que a sondagem é …falível e pouco credível!. E se o for… lá se vai mais oportunidade e mais uns quantos milhões!

    PS. Desculpe, é ENO e não HENO

  12. Avatar

    Caro Vilas

    Em primeiro lugar obrigado pela correcção, mas como é um produto que não tomo, escapou-me.
    O Sr. tem toda a razão para concluir, face à oferta instalada nas grandes superfícies, bem climatizadas, atractivas, a maioria com estacionamento disponível coberto, que os mercados ditos tradicionais não têm futuro.
    Isso está estudado e muitos desses estudos estão na NET, é só procurar.
    Foi por ter isso em conta, que já há 18 anos, quando se começou a projectar o edifício do novo Mercado, e o deputado Henrique Neto disse-o explicitamente numa Assembleia Municipal, a opção deveria ser por um equipamento que pudesse ser facilmente reconvertível, quer para ampliação do Centro Comercial anexo, quer para outros usos como lojinhas de produtos caseiros e biológicos de economia familiar, quer para tasquinhas, bares, restaurantes, espaços de animação, como aliás está a acontecer em Lisboa, no Porto e se vai espalhar por outras cidades de média dimensão.
    Na verdade, ainda há uma geração de pessoas acima dos 55 anos que faz da ida ao mercado uma rotina quase religiosa. São hábitos de muitas décadas, que não se apagam de um momento para o outro e são esses, avessos à mudança, que pior reagem à inovação e à modernidade, mas já são muito poucos.
    Se não se utilizar o Atrium, para além do valor dos terrenos que se permutaram com o edifício, avaliados em mais de 2 milhões de euros, perde-se a oportunidade de mobilizar a população mais jovem para o frequentar.
    Manda a razoabilidade, quando se pretende, levianamente, estoirar mais cerca de 3 MILHÕES e mandar para o lixo os 2 MILHÕES já investidos, que se façam contas ao retorno do capital que se perde, mais o que se vai gastar e se ponha em cima da mesa qual é a mais valia económica de o fazer no Casal do Malta, onde não há qualquer actividade económica que pudesse ser alavancada e, para cúmulo da irresponsabilidade, destruindo a coerência e a harmonia de uma Zona Desportiva, que logo que esteja completa com a piscina e os arranjos exteriores será um orgulho para a cidade. Poucos têm um espaço assim, como poucos têm uma Zona Industrial como a nossa.
    No estudo do Polis, que se inicia precisamente na Zona Desportiva, na nascente da Ribeira das Bernardas, foi discutida a construção de um corredor verde, que passando pelas escolas e pelos Parques da cidade, cozesse esta área ao centro da cidade.
    Estas alminhas, alguns até empresários de sucesso, parece que pensam com os pés.
    Lastimável.

  13. Avatar

    Todos sabemos e só não sabem quem não quer, que havendo um mercado as lojas da mesma zona acabam sempre por vir a ganhar! Que comércio existe no Casal do Malta? Os utentes como muito bem diz e o estudo da GFK confirma, que a grande maioria dos frequentadores do mercado, têm idade superior a 55 anos! São pessoas em idade de reforma ou pré-reforma!

    Que espaço mais necessita a população da M.G.? De um mercado novo ou de locais para terem mais oferta de praticarem actividade desportiva? Façam esse pergunta à população e terão a resposta. É triste esta novela! Decididamente…

  14. Avatar

    Que grande salgalhada.
    Tudo a mandar bitaites sem perceber nada do que fala, mas excepto um.
    Passa a vida a defender o indefensável. Como já alguém disse, não Candidate-se!
    So não o faz porque tem medo de perder.

  15. Manuel Santos

    No seio de toda esta polémica, recordo que o mercado do Atrium só foi em frente porque a camara na altura era da coligação PS/Pseudo Psd, pois acenaram com uma vereação a tempo inteiro ao Sr António Matia para o comprar e assim garantirem o apoio dele naquilo que bem entendessem. Sr Constancio, eu tive conhecimento de todo o processo que envolveu a escolha do mercado nessa altura, e desde o inicio de todo o processo que o mercado foi empurrado para o espaço do Atrium, sabe-se lá porquê. Recordo as opiniões dos membros do PSD, na altura, serem contra a construção do mercado nessa localização, mas como o vereador não se importava com o que o PSD pensava, assim passou a construção do mercado naquele sitio.

    1. Avatar

      Caro Manuel dos Santos
      O saudoso vereador Matias não fazia parte da Assembleia Municipal e TODAS, MAS MESMO TODAS, as decisões vinculativas sobre o Atrium, tinham que passar na Assembleia Municipal e aí, sem o Sr. Matias, o PSD tinha 3 deputados, a CDU 9 e o PS 11, o que dá 12 contra 11.
      Portanto, creio que não é justo estar a depositar a responsabilidade do seu partido em cima de um vereador, que teve sempre um comportamento exemplar em benefício da sua terra.
      Mas mesmo nas deliberações de Câmara, para além do voto do vereador António Matias, a CDU absteve-se em algumas, votou a favor outras e, na maioria dos casos, votou contra.
      É bom repor a verdade, se tiver dúvidas leia as actas que eu transcrevi.

    2. Avatar

      Já agora, só para todos percebermos, em que jornais, ou mesmo em que debates da Assembleia Municipal, é que o PSD foi assim tão contra a localização do mercado?
      Onde e de que forma, para irmos verificar, o PSD fez ouvir a sua voz vigorosamente contra.
      Eu só me lembro do meu amigo Artur Cadima, por quem tenho grande estima e a quem admiro a coerência, uma vez, no Operário, se ter insurgido CONTRA A SAÍDA DA RESINAGEM, não contra a localização no Atrium. Ele deu a cara, mas não me lembro de mais ninguém que o tivesse feito publicamente. Se me quiser recordar, agradeço.

  16. Avatar

    Senhor Anónimo de 6-3-2017 às 21h37, se não sabemos do que falamos, chegue-se à frente e faça o favor de nos esclarecer. Assim em nada contribui para os esclarecimento do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address