Lido por aí XCIX

CuriosoGalo, PSD, Saúde16 Comentários


«Ao abrimos a Constituição da República Portuguesa no n.º 1 do seu Artigo 64.º lemos que “Todos têm direito à proteção da saúde e o dever de a defender e promover.” Mas na verdade podemos fechar o livro da Constituição da República Portuguesa, porque “nada disso interessa”. Hoje em dia, o Direito à Saúde é um direito de todos, ou melhor o direito à proteção da saúde, é um serviço que é garantido pelo Serviço Nacional de Saúde, e como qualquer serviço do Estado tem como regra básica o princípio do utilizador pagador. Quer isto dizer, que na verdade não existe qualquer Direito, mas sim um serviço que o Estado presta ao doente / utente, e se este o utiliza, tem que o pagar. Como o S.N.S. é um serviço (público) nacional e tem uma gestão descentralizada, significa que sob o ponto de vista funcional se encontra espalhado pelas diversas ARS do país. E é ai que surge o nosso Centro de Saúde da Marinha Grande. O Centro de Saúde da Marinha Grande é um serviço de domínio público prestado pelo Estado, e como qualquer outro serviço público tem que funcionar mal;
Senão vejamos!
– Porque é que o Posto Médico tem um mau atendimento?
Há alguns anos, quando o doente (o utilizador pagador) se deslocava ao Centro de Saúde, este era atendido pelas Senhoras funcionárias administrativas que se encontravam a prestar serviço no balcão de atendimento, e atendiam os doentes com algum carinho, educação e compreensão, mas infelizmente para todos nós, essas Senhoras já não se encontram ao serviço, por se encontrarem aposentadas.
Presentemente quando os utentes vão ao Centro de Saúde são atendidos pelos POCS do Centro de Emprego, que estão a prestar um serviço de curta duração, talvez de um ano ou pouco mais, sentem-se devastadas pela política de desemprego que tem sido gerada nos últimos anos, e por muitas vezes essas pessoas não possuem qualquer tipo de aptidão para o atendimento ao público, tornado – se rudes e entrando em conflito com a população. Que vai ao Centro de Saúde.
Porém, fica a registar que o mais insólito do Centro de Saúde é o serviço do S.A.P., também conhecido por Urgências, mas quando funciona em horário noturno – pós meia-noite, não encontramos uma funcionária administrativa, mas sim um segurança, funcionário de uma empresa de seguranças, que presta o atendimento.
– Porque é que não há consultas de especialidade de Medicina Geral e Familiar atempadamente no Centro de Saúde?
Como é sabido a cidade da Marinha Grande é caraterizada pela forte indústria na área do moldes, plástico e vidro, e grande parte dos médicos de família prestam o seu nobre serviço no Centro de Saúde pelo período da manhã, mas quando chega ao período da tarde os mesmos encontram-se a trabalhar nos grandes grupos de moldes, de plásticos, de vidros e em diversas clinicas privadas, espalhadas por todo o Distrito.
– O que é que o órgão – executivo Camarário tem vindo a fazer para combater este mau funcionamento? Nada …
– Que medida positiva poderia a Câmara Municipal, ter vindo a tomar, ao longo do tempo, para combater a falta de médicos no Centro de Saúde da Marinha Grande?
A Câmara Municipal e muito bem, prefere entregar casas às pessoas que vivem da solidariedade social; mas nem sequer tem uma medida de apoio habitacional a um médico que venha de fora, para fixar – se na Marinha Grande, com o propósito de trabalhar no nosso Centro de Saúde.
Na passada sexta-feira, dia 03 de Março, pelas 17 horas e 30 minutos ocorreu uma manifestação marcada pela Comissão de Utentes do S.A.P., que teve lugar no salão do Edifício da Resinagem, devido ao mau tempo.
Para os mais desatentos o salão encontrava-se lotado, cheio de pessoas ligadas às diversas forças políticas e um escasso número de marinhenses anónimos. A mesa da Comissão de Utentes do S.A.P., era composta por distintos membros do PCP e do PS local.
O Presidente de Câmara e outros Vereadores do PCP e PS tomaram a palavra e ridicularizaram-se quando afirmaram: “eles próprios também eram utentes do Centro de Saúde sendo também eram umas vítimas das circunstâncias, chegando a dizer que por diversas vezes tinham ido ao seu médico de família e lhes teria sido negado a sua consulta.” De seguida;
A Câmara Municipal tentou acalmar os ânimos dos presentes, ao explicar, e muito bem, como estava a proceder, que já tinha tomado algumas diligências no sentido de resolver a situação da falta de médicos e que todo o processo estava em andamento e ficou garantido pela Câmara que a solução surgiria em Outubro, nomeadamente, “no Sábado anterior ao Domingo das eleições Autárquicas”.
Para bem e serenidade de todos marinhenses houve um cidadão que não é anonimo e é dirigente do PCP local, que apresentou uma proposta que já estava “cozinhada” entre o PCP e a Comissão de Utentes do S.A.P., a qual foi apresentada e votada.
Por fim pode concluir-se que a fórmula mágica (PCP + PS = ZERO), que tem vindo a governar a Câmara nos últimos quarenta anos, conseguiu adormecer, por mais uma vez, os marinhenses, mas atenção, só os mais desatentos até ao dia das eleições Autárquicas 2017.»

Autor: Ricardo Galo, PSD

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

16 Comentário em “Lido por aí XCIX”

  1. Avatar

    Pobre, muito pobre este texto de um “putativo” candidato a presidente de Câmara! Segundo creio nem vive no Concelho e certamente não usa os serviços de saúde locais. Há figuras lixadas que alguma “gentinha tem que fazer.

    1. Manuel Santos

      Sim, claro, pois quem não vive na Marinha Grande não pode lá trabalhar, nem pode utilizar o centro de saude. Ah, pois, o texto tb é fraquinho, pois não é de nenhum dos “grandes” partidos (PS, PCP). E que tal dizer alguma coisa com fundamento em vez de criticar só por criticar?

  2. Avatar

    Uma família em habitação social tem um rendimento líquido mensal que seguramente será menos de metade do salário mensal de um médico e ainda assim o Dr. Galo entende que os nossos impostos devem servir para pagar a renda de casa a um médico ao invés de apoiar as famílias mais desfavorecidas!!

    O Dr. Galo também se esqueceu de sublinhar que as políticas de empobrecimento e de destruição dos empregos (que deram origem aos POC’s) foram amplamente impulsionados pelo seu Partido!

    O Dr. Galo não escapa ao epíteto de MENTIROSO porque põe entre aspas (citação) uma supostas afirmação que NENHUM eleito proferiu na dita Assembleia! E sim, eu estava lá e estava atento!

    Mas está tudo dito quando o Dr. Galo começa por defender que a Saúde não é um Direito mas sim um Serviço que deve ser pago (princípio da privatização)!!

    Boa sorte para a sua campanha!

    Não começa bem!

    1. Avatar

      Oh amigo, tenha calminha com o que escreve e não ponha você palavras na boca de outras pessoas. Você é que se está acomportar como um mentiroso!!!

  3. Avatar

    Em relação ao que diz o Ricardo Galo este jovem faz afirmações com muito desconhecimento começando por afirmar que se pode fechar o livro da Constituição porque nada sobre a saúde interessa. Ao contrário interessa e muito que até serviu para correr o governo anterior no qual se apoia o Ricardo. Quando ao atendimento pelas colaboradoras do Centro de Saúde digo que tem sido a fase que mais vezes me procuram por telefone e tentam sempre procurar junto do médico de família solucionar o problema que surja. As funcionárias sentem-se devastadas pela política de desemprego que tem acontecido nos últimos anos.Ricardo o que fez o teu governo nos últimos 4 anos? Não deves ter vivido por cá! Pelo mesmo motivo porque é que o governo anterior PAF não conseguiu melhorar nada no SAP ou na Marinha Grande? A regra básica do utilizador pagador é do teu mestre Cavaco. Quanto às idas ao hospital sou atendido e se faço análise, rx, ou outros exames é normal que quem tem rendimentos pague uma pequena parte e nunca a totalidade, mas essa comparticipação é dedutível no IRS do ano seguinte. Acontece é que muitos que podem quando precisam de uma operação com mais custos estes nossos amigos correm para os hospitais públicos. Há qualquer coisa que lhes diz que ali estão mais seguros embora sejam sempre pacientes do privado e chegam ao cúmulo de passar à frente dos que não podem pagar. Quanto ao mau funcionamento todos sabemos que assim é. Pelos vistos tudo é surpresa para ti. Ricardo sabes que existem Unidades de Saúde Familiar e que já prestam melhor serviço que os Centro de Saúde. Sabes quantas já funcionam no distrito de Leiria? O teu desencanto sobre as funcionárias é ridículo, porque não é verdade. Quanto aos clínicos que dizes que trabalham de manhã no Centro de de tarde vão para o privado parece-me que desconheces que quem contrata é Ministério e é ele que faz acordos com os horários. Aí não podemos entrar. A habitação social é insuficiente para aqueles que mais necessitam e os médicos só podem ser auxiliados através do aluguer de casas. Não devia ser assim porque em relação ao que auferem deveriam pagar o seu arrendamento como nós sempre fizemos. Bem e para terminar queríamos apenas saber porque estamos assim na Marinha Grande? O que fez o partido sobre o qual te vais candidatar melhorou em metade dos anos em que foi governo nacional. Poderá ser uma boa pergunta para a tua ida à Universidade de Verão do PPD/PSD.

  4. Avatar

    Então quer dizer que todos os problemas que existem na Marinha Grande, desde a habitação, saúde, educação, mercado…etc. é culpa do anterior governo? Então já não é da gestão camarária?

    Têm passados aqui neste mesmo local muitos a debater uma coisa tão simples como é a construção de um novo mercado,. Têm chovido aqui acusações de todos os lados sem ninguém se entender e agora atrevem-se a culpar o governo de Pedro Passos Coelho?

    Querem tapar o sol com a peneira?

    É baixa politica! Mesmo…

  5. Ernesto Silva

    O Sr. Vilas não leu com atenção às respostas que dei ao Ricardo Galo. Vem agora afirmar que alguém pretendeu dizer que a culpa dos problemas que existem na Marinha Grande são todos da responsabilidade do anterior governo. As chamadas de atenção prendem-se com o desemprego dos funcionários do centro de saúde, porque é que o governo anterior não conseguiu melhorar nada no SAP da Marinha Grande durante 4 anos e para terminar nos mais de 20 anos em que esteve à frente do governo o PPD/PSD fez pela Marinha Grande. Se estas perguntas são baixa política então o que será a verdade? O sr. Vilas sabe o que tenho dito e ainda mais na passada 6ª feira negra da reunião da resinagem de que estes autarcas nos últimos 7 anos e outros nada fizeram no campo da saúde na Marinha Grande. Não é uma constatação? ou também é baixa política.

    1. Avatar

      Ernesto Silva, o seu a seu dono! Eu não disse que tinha dito, quem disse foi o anónimo.A menos que tenho comentado o assunto como Anónimo! Não estou, nem quero defender o governo anterior, mas relembro-lhe que o anterior governo (de salvação!), herdou um país em pré bancarrota!

      O maior problema da Marinha, têm sido as lutas partidárias pelo poder!

      O concelho e a pessoas só interessam para dar o voto!

      É caso para perguntar “Quo vadis” Marinha Grande!

  6. Avatar

    Na te preocupes o Ricardo que o governo das esquerdas-que-perderam-as- eleições resolve isso em três tempos. Já lá estão à ano e meio mas devem estar quase, quase a resolver isso

  7. Ernesto Silva

    Estás muito adiantado na contagem do tempo mas deves analisar aqueles que devem apresentar ao governo das esquerdas o que está mal e para os autarcas marinhenses no presente e no passado sempre esteve tudo bem. Lamenta-se que os seus porta vozes locais não sejam capazes de cumprir um mandato sem mancha.Mas os portas vozes das direitas também tem muita aceitação e não podem esconder a mão atrás do arbusto nada fazendo. Tem o dever igualmente de querer o melhor para a sua cidade. Como está na moda fazer uma sondagem para aprovar o que está feito e programado há muitos anos, o que achas fazer uma sondagem sobre o derrube do actual Centro de Saúde ou mudá-lo de local?

  8. Avatar

    Acho que deviam ler o n.º 2 do artigo 64 da Constituição e aprender alguma coisa com o candidato.
    Ou melhor quem fala nem deve saber o que é a Constituição.

  9. Avatar

    Ah! Também quero dizer que a minha médica de família está de manhã a trabalhar no posto de médico e à tarde está a dar “consultas” na Iberomoldes, e esta em.

  10. Avatar

    Ah! Também quero dizer que a minha médica de família está de manhã a trabalhar no posto de médico e à tarde está a dar “consultas” na Iberomoldes, e esta em.

    Até parece que esta malta vai ao centro de saúde e é de borla as consultas..

  11. Ernesto Silva

    O Ricardo Galo para iniciar a sua opinião cita o artigo 64º (Saúde) e o seu número 1. Mais à frente um anónimo refere que deve ser lido o nº 2 do mesmo artigo 64º da CRP. Mas eu aconselho ambos a lerem a totalidade do artigo 64º incluindo as alíneas a) e b) do nº 2 e o nº3 alíneas a,b,c,d,e,f, e o seu nº 4. Ao lerem apenas o nº1 e 2º tratam de passagens da intenção que levou na época o legislador a defender a Saúde. Para a época a intenção é de louvar. Cada um em 2017 não se pode esquecer desse pormaior. Mas para além deste pormenor em cada centro de saúde existiram ,médicos, enfermeiros e administrativos que não souberam ser exigentes consigo próprios e sempre que uma determinação não era cumprida pelo Ministério da Saúde deveriam sair em defesa da CRP. Foram-se acomodando porque todos os meses a conta destes aparecia creditada. Em suma ninguém defendeu como devia o seu centro de saúde mas para tal foram pagos como bons servidores do Estado. O Estado tem muitas tetas como as marrãs parideiras e vai daí há que aproveitar o momento. Não há dia algum em que o SNS não seja assaltado com prejuízo para os utentes que descontaram durante as suas vidas de trabalho para ele igualmente como descontaram para a reforma. Da mesma forma a ignorância dos executivos camarários que foram passando pela Marinha Grande nunca defenderam como o deveriam ter feito porque não eram pacientes daquele tipo de serviço prestado pelo Centro, porque preferiam ir aos privados ou tinham outro sistema de saúde como a ADSE. Assim sendo foi uma mistura explosiva que passou pela Marinha e deixou para trás aquilo que deveria estar em primeiro lugar nas suas preocupações. Estranho nunca ter havido uma rebelião por parte de quem recebia encerrando as instalações tendo um delegado de saúde que deveria sair do seu gabinete ficado manietado durante estes longos anos que levamos de calvario com a saúde na Marinha Grande.Não há inocentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address