Somos de onde?

CuriosoAurélio, CMMG8 Comentários


Quando ontem saímos da reunião de câmara ficámos na dúvida de que edifício estávamos a sair, se o de cá se o de Leiria! Isto porque, durante a reunião, o Aurélio colocou uma questão que nos deixou em dúvida. Apesar de não termos visto, foi afirmado que no cemitério a marcação dos locais de sepultura estão a ser assinalados com fitas que pertencem à câmara de Leiria! Fomos depois ver e encontrámos no cemitério restos de fitas, aquelas em plástico brancas e vermelhas, com a identificação da câmara de Leiria. Não é que nisso possa haver algum problema, que não há – até porque poderia significar que estaríamos a aproximar-nos do que por lá se faz -, mas não deixa de ser estranho que uma câmara com os cofres cheios de dinheiro tenha que usar, para marcar os locais de sepultura, fitas que não pertencem à autarquia. Claro está que à questão o Vicente teve dificuldade em responder e notou-se o embaraço, tanto mais que sempre quiseram mostrar um distanciamento entre esta câmara e a de Leiria. Ficou-se a perceber que por cá acontecem coisas que ninguém sabe porque acontecem nem sabem dar explicação. Ficou-nos a esperança que, à semelhança do que acontece no cemitério, alguns procedimentos possam a ser copiados para que possamos usufruir das vantagens que os munícipes de Leiria têm em relação aos de cá, mais que não seja em termos de procedimentos administrativos e de facilidade de acesso aos serviços. Quando saímos da reunião podemos ter ficado sem saber a que terra pertencíamos, mas saímos com a esperança que comecem a copiar algumas das boas práticas que por lá existem, além das marcações dos sepulcros com as fitas deles.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

8 Comentário em “Somos de onde?”

  1. Avatar

    Cá para mim foi o Araújo que pôs lá as fitas.
    Anda sempre a comparar o que cá não se faz de com o que fazem os vizinhos.
    Ele até tem razão. Mas com um gabinete de apoio ao presidente como o de cá não se podia esperar melhor.
    Se fosse ele a mandar corria-os todos de lá.
    Ainda há a esperança que seja ele o candidato.

  2. Avatar

    Senhor Anónimo das 08:18 tem provas do que está a afirmar?!
    Se tem, faça favor de as apresentar!
    Se não tem, encontre algo de mais útil para argumentar!

    Talvez possa começar por averiguar quem faz actualmente a gestão do Cemitério da Marinha Grande!
    Descobrirá que não são os Serviços Municipais mas sim uma empresa privada, contratada por concurso público.

    Desconheço se a mesma faz o mesmo serviço no Município de Leiria.
    Mas talvez o(a) Senhor(a) possa averiguar isso, em vez de se pôr a fazer acusações sem fundamento!
    E se sim, talvez seja essa a razão para usarem as fitas daquele Município neste Cemitério…

    Mas seja ou não seja, e não que esteja correcto, não vejo que seja algum crime ou ilegalidade o que foi feito!
    Merece reparo sim, mas não merece seguramente uma discussão pública!

    Também lhe digo que não tem mal nenhum olharmos para ver o que se passa à nossa volta!
    E fazermos a autocrítica, sobre o nosso Município, servindo-nos dos melhores exemplos (chama-se “benchmarking” em linguagem de estudo) é um exercício salutar, para quem não queira apenas viver/ser o mínimo dos mínimos!

    Eu não tenho esse complexo!
    Por isso olho, vejo e reparo (como dizia Saramago, e já agora aconselho a que leia – se ainda não o fez! – o Ensaio da Cegueira e o Ensaio da Lucidez)!
    Pena é que alguns só queiram olhar quando lhes interessa e não quando é realmente útil fazê-lo!

    A Marinha Grande tem qualidades que Leiria não tem!
    Leiria tem qualidades que a Marinha não tem!
    O mesmo se diga em relação aos defeitos!
    Pergunte aos Leirienses o que pensam dos nossos Parques Urbanos, por contraponto aos Parques que eles não têm, só por exemplo!

    E deixe-se (você e todos os outros) de alvitrar sobre as minhas pretensas ambições políticas!
    Porque tendo-as ou não é um direito que me assiste enquanto Cidadão e Munícipe!
    E eu não abdico de nenhum dos meus Direitos!

    Num caso e noutro não é a si (enquanto «anónimo») nem neste espaço que tenho que dar conta das mesmas!

    Cumprimentos.
    NA

    1. Avatar

      Pena é que só se lembre dos direitos e se esqueça dos deveres pelo menos enquanto adjunto.

  3. Ernesto Silva

    E isto é o começo porque quando NA puxa de José Saramago alto lá que falamos com conhecimento de causa. Os marinhenses no qual me incluo por não ler os concursos públicos seguramente tão divulgados desconhecia que a gestão dos cemitérios havia sido entregue a privados. Mas não foi divulgado pelo face book? Qual foi a poupança dessa medida para os cofres da autarquia? Quais foram as razões para esta tomada de atitude. Porque nunca foi divulgada tal notícia apesar do concurso público. É uma matéria que interessa à análise da transparência. Quanto ao benchmarking espero que continue a sua utilização e dela nos vá dando informações. BENCHMARKING ora toma lá para aprenderes! E eu a pensar que apenas se utilizava na Banca? Quando trabalhei nos electrodomésticos nós já fazíamos benchmarking mas dávamos-lhe o termo ainda desconhecido que era fazer shopping através de uma análise dos preços dos nossos concorrentes nas várias grandes superfícies e num número determinado de concelhos do distrito. È claro que esta soa a termos da União Europeia. Por isso vamos fazer igualmente benchmarking em relação ao que fazem as autarquias da nossa dimensão no nosso distrito para podermos comparar com o que faz a Marinha Grande que tantos anos andou na vanguarda do distrito sem esta nova ferramenta e repentinamente aparenta um stress fora do comum. Anda tudo stressado por isso nada avança.

  4. Ernesto Silva

    E por falar em cemitérios salta-nos à ideia a história do jazigo construído fora das medidas habituais e em sítio não apropriado e que em 2014 levantou tanta indignação nas reuniões de Câmara. Perguntamos ja estará resolvido na data em que escrevemos ou continua como dantes? Se algum dos acompanhantes souber a resposta correcta seria de bom transmiti-la ao auditório para não sermos apanhados de surpresa ou com as calças na mão.

  5. Avatar

    O Nelson saiu da casca e veio esclarecer o pessoal.
    Afinal foi lapso da empresa. Esta a utilizar o material de Leiria cá na marinha.
    Também não é má ideia.
    Já agora candidate-se para ver o que vale.

  6. Avatar

    Parece que não entendeu que não passaria pela cabeça de ninguém que foi ele que colocou lá as fitas.
    Agora passa pela cabeça de todos a desgraça que seri se ele continuasse, de uma forma ou de outra, ligado ao poder na Marinha Grande.
    Por aí pode afinar com razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address