“A senhora cale-se”

CuriosoCMMG, Vicente9 Comentários


«A senhora cale-se» foi a forma como o Vicente ontem impôs a sua vontade, na reunião de câmara, perante uma munícipes que reclamava por aquilo a que tem direito. Há muita forma de se dizerem as coisas. A forma educada, a forma menos educada, a forma simpática e a forma autoritária. A forma usada não merece grandes comentários e a adjectivação deixamos para quem ler. Não deixa de ser triste que um autarca, pago pelos nossos impostos e a cumprir o mandato que o povo lhe conferiu se dirija a um munícipe deste modo. Dir-se-á que ‘temos o que merecemos’, mas será que merecemos tão pouco?


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

9 Comentário em ““A senhora cale-se””

  1. Avatar

    Muito imperativo. Mas ao menos tratou a munícipe por senhor, bem se vê que não tem sangue azul, ou perguntaria educadamente “Porque non te callas?” ainda que estivesse a ser ofendido, que não sei se foi o caso.

    1. Curioso

      Caro anónimo. A munícipes quis intervir um pouco além dos segundos concedidos, foi mandada calar e fez o que qualquer pessoa de bom senso faz quando tem pela frente alguém que usa o poder para impor vontade: levantou-se e saiu da sala.

  2. Avatar

    se tinha passado o limite de tempo de palavra só tinha de respeitar, pois é assim que se passa nas reuniões
    democracia

    1. Curioso

      Caro anónimo. Passemos então a exigir que os prazos de resposta, por parte da autarquia, sejam cumpridos tão escrupulosamente quanto o que se exige dos munícipes nas reuniões de câmara, não acha? Democracia não é apenas uma via de um único sentido.

  3. Avatar

    O actual presidente da Câmara não impôs a sua vontade mandando calar aquela munícipe que ia à procura de ser ouvida. O que ele fez é a prova provada que não tem condições para exercer o cargo para que foi designado mas não eleito. É um casca grossa desconhecedor do que é ser presidente de uma autarquia. Ele não conhece nem aprendeu no partido onde dizem que milita o que é ser humilde, mas trabalhador. Já o seu antecessor procedia da mesma forma irracional que nos obrigava a perder as estribeiras com a mania doentia do cronómetro, nem havendo lugar a réplicas. Silêncio porque PV está a cantar e como sabe a música de cor vai optando pela provocação, em vez de pensar e fazer obra porque tem os cofres cheios daquilo que qualquer um de nós lhe paga, seja imposto de circulação, seja IMI etc. Pelo fim dos aprendizes de feiticeiros que quando apanham a mania se tornam amigos da prepotência. Enquanto se mantiver nesse cargo justifique o dinheiro que lhe pagam e a gaiola dourada que proporciona aos seus assistentes. Já tem idade para saber o que não deve fazer. Ou será que o PV gostaria que a sua esposa ouvisse as mesmas palavras com que agora brindou alguém.

  4. Avatar

    A educação era parca nos seus tempos de junta, por isso não se pode exigir agora o impossível…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address