Lido por aí LXXXIX

Curioso18 Janeiro11 Comentários


«Por mais voltas que dê à cabeça não consigo entender o que é que o Jornal da Marinha Grande pretende no Editorial da sua edição de hoje com as alusões feitas ao PCP, ao Sindicato Vidreiro e à CGTP.
O Jornal da Marinha Grande já há muito habituou os seus leitores à sua mais que visível parcialidade ainda que não se canse de dizer o contrário porque sabe que uma mentira repetida muitas vezes não a torna verdadeira mas que vai haver muita gente a nela acreditar
Claro que o Jornal tem todo o direito de agir na defesa de quem quer que seja porém, na minha modesta mas sincera opinião, o editorialista Mário Nicolau deveria ter mais atenção quando escreve sobre o 18 de Janeiro de 1934 e o seu legado.
Afinal, o que diz o PCP na sua nota da Comissão Concelhia da Marinha Grande, que vem publicada no Jornal da Marinha Grande de hoje e que mereceu de Mário Nicolau aquela sua severa crítica?
Apenas isto:- “Assim, a Comissão Concelhia do PCP não pode deixar de denunciar que a par dos parcos apoios atribuídos pela CMMG ao STIV, e à CGTP, a autarquia organiza uma Conferência sobre o 18 de Janeiro com a participação do Secretário-Geral da UGT, numa afronta clara ao STIV e à CGTP, legítimos herdeiros do legado de luta do 18 de Janeiro de 1934 e às várias gerações de marinhenses, filhos, netos e bisnetos dos homens e mulheres desta terra que dedicaram as suas vidas à luta pela liberdade.”
Será esta posição do PCP incorreta?
Pela minha parte digo com toda a franqueza que estou plenamente de acordo com ela!
No entanto, como o editorialista do Jornal da Marinha Grande fez questão de tornar pública a sua discordância para apoiar a figura da qual o PCP e largas camadas da população marinhense discordam, suponho que seja pertinente colocar as seguintes questões:
– Qual o partido político que à data (1934) estava devidamente organizado na Marinha Grande e que assegurou que o Movimento Operário do 18 de Janeiro tivesse assumido nesta terra a dimensão que todos nós hoje lhe conhecemos?
– Quem foram e onde estavam organizados na Marinha Grande os operários vidreiros que participaram neste Movimento e que, em consequência disso foram presos, torturados, enviados para o exílio e alguns assassinados pela PIDE?
Naturalmente que ninguém de bom senso e com algum conhecimento da matéria pode afirmar que não foi o PCP o suporte de tudo o que aconteceu assim como se sabe que a maioria dos intervenientes e dos presos eram seus militantes e sindicalmente organizados no Sindicato Vidreiro.
Por isso, o PCP diz e com toda a propriedade que a participação do Secretário-Geral da UGT na iniciativa promovida pela CMMG para assinalar a passagem de mais um aniversário do 18 de Janeiro de 1934 é uma afronta ao Sindicato Vidreiro/CGTP-IN e às gentes da Marinha Grande.
Essa tal figura servirá, porventura, para tentar limitar a luta dos trabalhadores e para promover acordos favoráveis ao grande patronato mas nunca para homenagear uma luta na qual se verteu sangue de trabalhadores.
E, já agora, para terminar, só mais uma nota sobre a notícia no mesmo Jornal relativa às iniciativas dos partidos para se apresentarem às próximas autárquicas.
O PS, fez duas abordagem tendo levado duas negas mas não havendo qualquer alusão à dificuldade com que este partido está para encontrar o seu cabeça de lista. Já com o PCP o Jornal diz que o processo pode não ser pacífico (o que indicia que pode haver guerra) porque Vitor Pereira está disponível para se candidatar.
Francamente que às vezes apetece-me dizer:- Vão dar banho ao cão!»

Autor: Sérgio Moiteiro

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

11 Comentário em “Lido por aí LXXXIX”

  1. Avatar

    Este é o Sr. Sérgio Moiteiro, o Ex-Vereador da CMMG que encolhia os ombros e dizia aos funcionários da câmara que nada entendia sobre as suas funções autárquicas, quando aceitou os pelouros atribuídos no biénio 2008-2009, após a “queda” do seu camarada Barros Duarte?!
    Oh Senhor que nada sabia, mas que chegou a ameaçar quem sabia, vá dar banho ao cão!

  2. Avatar

    Sérgio, acertaste no alvo! Vê só a reação do primeiro anónimo a reagir? Cheira-me a GAP! (Gabinete de Apoio ao Presidente). Muito bem escrito Sergio! Parabéns! O Jornal da Marinha está vendido ao PS. Prova isso mesmo, todas as 5as feiras! E assim se vai descredibilizando.

  3. Avatar

    Sim caro anónimo eu sei que você sabe que é exactamente o mesmo Senhor!!

    O mal do STIV é precisamente estar refém do PCP… como a COOPOVO… uma e outra são Instituições que já tiveram um relevo social importantíssimo no Concelho mas hoje estão tão ou mais falidas (e não apenas financeiramente!!) que o próprio PCP!!!

  4. Avatar

    Anónimo das 21.51 “olhe que não, olhe que não”… é melhor ir ao otorrino que anda com o olfacto estragado!!!

    Sabe que a Câmara é muito mais que o GAP, e quando o Sr. Sérgio Moiteiro foi Vereador ninguém que esteja hoje no GAP estava lá!!!

    O Senhor Vereador que faça um exercício de memória e tente recordar a quem fez aquelas afirmações, se as fez ( e o seu comentário diz que sim!)

    Já o facto de ter entrado para a Vereação depois da saída de Barros Duarte da Presidência, é apenas um facto, ou não?!

  5. Avatar

    De facto este indivíduo foi uma nódoa na autarquia, com uma postura altamente contraditória à que defendia enquanto sindicalista. Foi apenas mais um tacho para o currículo antes da reforma reforçada €€€, pela mão do PCP. E… Não… Não sou do staff do Gap!! Sabeis que os funcionários de longa data também sabem umas coisas. E também sabem que, apesar de tudo, os comunistas conseguem ser piores à comunidade que os socialistas…

  6. Avatar

    O dinheiro das chorudas quantias referentes à publicidade paga pela autarquia falam mais alto e são um escândalo em tudo igual ao que se passou durante muitos anos na Madeira com o Alberto joão Jardim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address