Lido por aí LXXXIV

CuriosoCMMG, Nelson4 Comentários


«Mas eu explico (numa opinião que apenas a mim vincula):

1. As actividades económicas não industriais já dispõem de instrumentos regulamentares que prevêem a atribuição de benefícios fiscais camarários, bastando tanto o reconhecimento da sua utilidade pública municipal!

Exemplo disso mesmo foi a aprovação de isenção de taxas de licenças a uma UNIDADE DE CUIDADOS CONTINUADOS de iniciativa privada (que infelizmente até hoje não deu início à construção das instalações).

2. As actividades económicas não industriais que se queiram instalar no CENTRO TRADICIONAL podem beneficiar das linhas de financiamento próprias previstas no PEDU bem como dos benefícios previstos no Plano de Revitalizacao do Centro Tradicional consubstanciado na ARU!

3. Dar TUDO a TODOS sem qualquer exercício de discriminação positiva NAO É o que se possa chamar de ESTRATÉGIA para o desenvolvimento económico do Concelho. É apenas FACILITISMO!

Deixo no entanto o desafio para que expliquem:

1. Porque votaram a FAVOR deste PROGRAMA em 2014 tecendo rasgados elogios ao mesmo e afirmando que deveria continuar??

2. Porque APROVARAM um perdão de dívida de água a UM hotel, atribuindo-lhe um ESCALÃO ÚNICO de tarifa de consumo, deixando de FORA todas as outras Unidades Hoteleiras? Não é isso uma forma de discriminação negativa??!!

3. Como explicam que se possa atribuir o mesmo “peso e a mesma medida” a actividades económicas tão díspares e com relevâncias socioeconomicas diferentes?!
Será que uma Estratégia de Desenvolvimento Económico Sustentável se pode alicerçar numa política de benefícios indiscriminados??!!»

[Em comentário a texto do MpM: O QUE O EXECUTIVO E O SEU GABINETE NÃO EXPLICAM ?! O PORQUÊ de RECUSAREM alargar o PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO a TODAS as empresas que gerem riqueza e criem emprego do Comércio, Turismo, Serviços, Hotelaria e a Restauração, as empresas de Engenharia e Design, etc.]

Autor: Nelson Araújo

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

4 Comentário em “Lido por aí LXXXIV”

  1. Coitadinho. Pensa que é mais esperto que os outros mas é tão insignificante que ninguém o leva a sério nem no PS

  2. Avatar

    Como perde o tempo nos blogues, no FB e noutras coisas que nada têm a ver com a função de adjunto onde é pago por todos nós, só sabe o que se passa nas reuniões quando lhe dá jeito.
    Por ignorância ou má fé (qualquer delas grave), vem questionar porque votaram pelo perdão de dívida da água ao hotel.
    Amanhã pela manhã deve pedir explicações ao seu Presidente, à Cidália candidata e à amiga Tereza, que é quem manda neles todos, porque o fizeram.
    O único vereador com uma atitude responsável foi precisamente o Aurélio, porque votou contra.
    Mais, é uma ilegalidade que pode vir a ter outras consequências.

  3. Avatar

    Na Vieira, como não temos aquelas coisas que fala o adjunto não temos direito a nada. Afinal é só para os industriais e para os comerciantes do centro da cidade.
    O Paulo Vicente está rodeado de gente que se esquece da Vieira e até arranjaram forma de ele não ser candidato, por ser da Vieira. Isto é verdade é é uma discriminação em que esse, que se diz adjunto, tem responsabilidades.
    Ele e a Cidália, a mando da Tereza, andam a fazer panelinha para prejudicar a Vieira.
    So me admiro do João Paulo Pedrosa estar também caladinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address