Rumo a outras paragens

CuriosoPS, PSD, Santos1 Comentário


two_firends_1A reunião de ontem da câmara não teve grandes novidades. Passaram a manhã sem decidir nada mas houve algo que veio alicerçar o que há muito se ouve como sendo um cenário quase certo. A propósito das obras o Santos veio mais uma vez comparar o que acontece por Leiria, terra de adopção por razões profissionais, e o que aqui não acontece. Fazendo referência ao facto de a câmara de Leiria estar endividada mas ainda assim apresentar obra, comparou com o que aqui acontece, com uma câmara com os cofres cheios onde nada é feito. Não é a primeira vez que o ouvimos elogiar o que tem sido o mandato do Castro (que, como é evidente, nada tem a ver com os mandatos do PS aqui na terra). Com o PSD local a querer dar o apoio ao Aurélio e com o Santos a dizer há muito que não irá ser candidato pela marinha, parece certo que possa rumar para outras paragens. Sabe-se que desde há algum tempo tem vindo a ser sondado para a possibilidade de vir a fazer parte da futura equipa do Castro e estes elogios que lhe tem feito e ao que tem por lá acontecido parecem ser a evidência de que estará a pouco de poder aceitar o desafio que lhe tem sido feito. Caso aceite terá uma vantagem grande em relação ao que teve aqui que enfrentar, lá terá obras a serem executadas e se alguma vez condicionar o voto à realização de uma ou outra obra não lhe acontecerá como aqui, ficar anos à espera que nada aconteça.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

Um comentário em “Rumo a outras paragens”

  1. Ernesto Silva

    Os cofres estão cheios como verificamos na prestação de contas, mas as dívidas e os “gatos” por aprovisionar já ultrapassam tudo o que existe nos cofres dos Patinhas e um dia destes quando os tribunais despacharem lá vem a bancarrota e o recurso ao endividamento. É só somar todo o tipo de “gatos” que estão por desatar e de todos conhecidos e depois seria como diria Guterres agora é só
    uma questão de fazerem as contas. Vejam o que sobrará?

Deixar uma resposta