‘Um mau negócio’

Categoria CMMG, Mercado by Curioso9 Comentários


atrium_frente_1Como já se sabia, as instalações que eram destinadas ao mercado, no Atrium, vão passar a ter os serviços das conservatórias. A câmara vai receber menos de duzentos e cinquenta mil euros nos próximos dez anos pela cedência do espaço. Uma obra que teve o custo que se sabe e que agora fica destinada a ter uma rentabilidade baixa. A decisão que foi há muito tomada, e que está confirmada, coloca um selo no negócio que foi feito há muitos anos, também por uma câmara do PS, que não pode deixar de ser o de que aquele foi ‘um mau negócio’. Agora há que esperar que sejam cumpridas as ameaças que foram feitas para entravar a ocupação daquele espaço por outra coisa que não seja o mercado. A concretizar-se a ameaça, o Vicente poderá ter em mãos mais uma batata quente para resolver. Não deixa. no entanto, de ser interessante fazer-se uma comparação entre o preço que o Estado vai pagar por ocupar aquele espaço e o que, em Leiria, o ‘restaurante’ do jardim custa a quem agora ficou com o espaço. Aqui o Atrium custa apenas mais duzentos euros por mês! Claro que o preço que ali foi acordado está dentro do que é praticado aqui no mercado imobiliário mas há uma coisa que ainda não foi explicada aos munícipes! Que utilização irá ser dada aos 1100 metros que sobram? Ficará essa área tal como está para que possam continuar a apontar aquele espaço como ‘um mau negócio‘ da governação do Constâncio/Órfão?


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

Comentários

  1. atento

    Pelo menos começa a ser utilizado o que já não é mau.
    Esperemos que o restante venha também a ser ocupado. Pena que na altura a Junta de Freguesia não tenha aceitado o desafio. Agora vai ficar num mamarracho que vai abafar a antiga escola.

  2. Avatar

    Xiu, não digam isso. daqui a pouco temos o Constâncio aqui a dizer que todos os outros são irresponsáveis, só ele é que estava certo em querer fazer ali o mercado.

  3. Avatar

    A junta poderia ter ocupado aquilo como? Não pensem que a Junta iria para lá a custo zero. O valor a gastar ascenderia a cerca de mais de 250 mil euros. Acham que era um bom negócio!? E o espaço proposto era no piso superior, então os utentes da junta na maioria são pessoas de idade, com mobilidade reduzida, então como seria? Temos analisar as situaçoes com a cabeça e não com coveniencias politicas.

  4. Avatar

    Sou dos que pensa que o “Largo das calhandrices” cumpre hoje um papel imprescindível na terra, ao dar-nos a conhecer em geral em cima da hora muito do que não sairia da sala de reuniões do executivo camarário.
    No entanto (e salvo raras excepções) os comentários aqui escritos, são deploráveis. Aproveita-se o anonimato permitido para tudo e mais alguma coisa. Desde a miserável insinuação até à manifestação da mais atróz ignorância.
    O mercado do Atrium foi construído respeitando as mais elementares regras da democracia instituída pelo poder local democrático. Todas as decisões foram tomadas e sujeitas a votação pelos executivos e assembleias municipais na altura. Nunca foi democraticamente tomada qualquer decisão que alterasse as que legitimaram a sua construção. Miseráveis as insinuações que por aqui (e ali) se vão fazendo tentando fazer crer que aquele processo foi feito por uma pessoa em troca de favores pessoais. Esperemos que a justiça intervenha e ponha as coisas no seu devido lugar.

    1. Avatar

      Esperemos sim. E já agora, só a titulo de entretenimento, vou aproveitar para contar uma historia que se passou quando fui assistir ao juramento de bandeira de um amigo meu.
      Entre a assistência, estava um casal na casa dos seus 50 anos, que olhava à procura do filho. A certa altura, a mãe, toda orgulhosa, vira-se para o pai e diz-lhe:
      – Olha, olha, querido. O nosso filho é o único que vai a marchar bem…
      Entendeu?

      1. Avatar

        Eu não entendi, porque na marcha triunfal para ganhar as eleições de 2005, vi-o marchar com o estandarte do Atrium, à frente de um pelotão que marchava todo para o mesmo lado.
        A marcha não foi triunfal e o ego é do caraças.
        A culpa foi daquele gajo e do Atrium, porque os votantes da Praia não gostaram que fossem usados terrenos da terra na permuta.
        Parece-me que ao fim de tantos anos é em si que a azia permanece.
        Penso eu de que……

  5. Ernesto Silva

    É vergonhoso o valor porque aceitaram arrendar por um espaço de tempo tão grande. 10 anos é muito tempo. Aliás não foram esgotados todos os passos que mereciam ser dados. Não foram os eleitos que viram o seu trabalho aprovado em todos os trâmites indispensáveis para se iniciar aquela obra? Conclui-se que aqueles que estão fora da autarquia não puderam ser ouvidos antecipadamente. Não é justo o que agora foi feito e já o tinha escrito neste espaço quando soubemos pela 1ª vez que aquele espaço iria ser alugado e não soubemos o valor da renda. Gato escondido com o rabo de fora. Não foi justo este arrendamento feito nestas condições.

Deixe um comentário

  
Please enter an e-mail address