CMMG

Cada vez mais fica a certeza de que este ano não haverá obras. Poderá até haver projectos mas, se houver execução, ela será apenas concretizada no próximo ano. Ontem a chefe da área financeira, a Sandra, foi quem afirmou que o que está a ser discutido pelos vereadores não é possivel de ser posto no papel. A situação da câmara está de tal modo que agora tem que ser a técnica a ver o que consegue fazer em termos de poder cabimentar o saldo de caixa que deveria estar já integrado no orçamento para que possa transitar para o ano que vem. Dos 22 milhões que havia aprovados para o orçamento deste ano, eles passaram para 29 sendo que os sete são os que falta incluir. Como já não se conseguirá gastar esse dinheiro, ele terá que transitar para o ano que vem e os eleitos – em especial quem manda – deixa que a situação da câmara fique dependente de uma solução técnica que poderá não ser fácil de resolver. Estamos assim, neste momento, perante o problema grave de estarmos com a câmara parada com a agravante de que há problemas que deviam estar a ser resolvidos e não o estão a ser. Isso ficou claro hoje de manhã quando a água das torneiras saia castanha! Ao longo dos anos a adutora tem sido um assunto esquecido pelos diferentes executivos e corre-se, hoje, o sério risco de a qualquer momento haver uma rotura grave que deixe a terra sem água durante vários dias ou mesmo semanas. Os factos que nos têm sido relatados mostram que o problema está mais grave do que as simples interrupções ou roturas pontuais. A câmara não sabe a quantidade de água que se perde nem a gravidade do problema e quando o problema for irremediável termos todos que recuar no tempo para ir apontar o dedo a todos os que tiveram cargos de responsabilidade na câmara e deixaram o assunto chegar ao ponto em que está.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

2 comentários

  1. A oposição não se deve deixar ir em cantigas e desta forma fazer a vontade aos que mandam onde se inclui esta senhora que é a verdadeira presidenta e que o Vitor tentou colocar no seu devido lugar.
    Os eleitos é que devem mandar e os técnicos auxiliar.

  2. Ontem dia 3 a roupa não se podia lavar pelo castanho na zona do Engenho mais concretamente na Travessa dos Pimentas. Hoje ao passar por água o equipamento que utilizo na Piscina de Pataias ainda apresentava sinais de castanho mas já não era tanto como ontem. Quem não bate à porta do governo para se socorrer de estabelecer protocolos para obras nas Escolas e neste caso substituir as adutoras condutoras principais da água que nos chega às torneiras não pensa no que anda a fazer. Outras autarquias tem aproveitado o investimento e algumas do nosso distrito. Parabéns para elas porque o que sem passado com as condutas de água é deveras preocupante. Há mais vida para além desta mesquinhices dirão eles.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário