Esticar

CuriosoCMMG, PS, Vicente3 Comentários


stretch_legs_vicente_1Quem pratica desporto sabe que uma das parte mais importantes do exercício físico são os alongamentos. Esticar os músculos é essencial para que não haja problemas antes e depois do exercício. Não sabemos (nem isso nos diz respeito) se o Vicente pratica desporto mas não temos dúvida alguma de que, se o fizer, será mestre em alongamentos. Isto porque também este ano ele alongou o momento de entrega do orçamento na Assembleia Municipal. À semelhança do que tem vindo a acontecer todos os anos, o prazo para entrega do orçamento não irá ser mais uma vez cumprido. Desta vez terão enviado um pedido de desculpas ao Telmo pelo atraso mas acreditamos que nem ele estaria a contar que no final do mandato alguma coisa fosse diferente do que tem sido nos anos anteriores. O Vicente estica os assuntos muito à semelhança do que os atletas fazem com os músculos. Este hábito de esticar tudo até aos limites tem, no entanto, um impacto grave na vida dos munícipes. Mas parece que nem tudo corre mal para os lados da câmara. O prazo para entrega das candidaturas, que a semana passada causou celeuma no seio da câmara, foi também ele esticado o que significa que as candidaturas que a câmara deveria entregar até hoje já podem ser entregues mais tarde. Foi um bafejo de sorte que tiveram e que lhes permite ainda poderem conseguir o que de outro modo não seria possível. Ainda assim, o facto de ter sido esticado o prazo para entrega das candidaturas – pelo que conseguimos saber, já seria mais ou menos do conhecimento dos que mandam – não exime a câmara da responsabilidade de ter deixar tudo ser esticado até aos limites e de quase ter deitado tudo a perder. Desta vez o ‘alongamento’ deu jeito e até fez bem mas isto leva a uma questão para a qual não conseguimos encontrar resposta: porque é que em quase todos os assuntos tudo é sempre deixado para a última hora?


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

3 Comentário em “Esticar”

  1. Avatar

    O Paulo Vicente, tal como o fizeram ao Álvaro, está a ser queimado, não em lume brando, mas em chama bem viva, pelos que supostamente seriam os apoiantes. A guerra dentro do PS é de tal ordem que não saberemos onde acabará.
    Aqueles que ainda pode entrar na sede local do partido sem serem olhados como estranhos, começaram por afastar do partido os marinhenses que fizeram com que o PS vencesse nas legislativas e já só têm 2 vereadores (chegámos a ter 4!), já afastaram as pessoas válidas do partido (excepto o Telmo e não percebo porque ainda lá continua) e agora, como se isso não bastasse, já andam todos de candeias ás avessas.

  2. Avatar

    Ainda bem que poderemos ter outras opções fora dos partidos. Francamente estou surpreendido e tenho gostado da coerência e da postura do Aurélio. É o único que diz o que faz e porque faz (no JMG, no FB e no memorando que envia sempre após as reuniões do executivo), obriga a discutir os assuntos e ajuda nas soluções.
    Quem tenha tido, como eu tive recentemente a oportunidade de o conhecer, não ficará surpreendido com o que acabo de dizer.
    Aquele jantar conferência confirmou publicamente aquilo que eu me apercebi em privado. Prepara-se bem, dirigiu um debate sem entrar politiquice, deu espaço aos participantes para fazerem perguntas, nota-se que está bem relacionado e é respeitado e conseguiu mobilizar muitas pessoas interessantes.
    Também é evidente que é respeitado pelos próprios adversários políticos, que mesmo discordando dele nalgumas coisas ou, por medo que ele possa chegar a presidente o tentam enxovalhar, lhe reconhecem competência e capacidade agregadora.

  3. Ernesto Silva

    Não guardar para amanha o que deve ser feito hoje. Aqueles que não se antecipem ao último dia ou ultima hora estão queimados. Não merecem a confiança dos eleitores. Aliás não é difícil reconhecer a incapacidade demonstrada nesta autarquia nos últimos 7 anos. Não tem futuro à frente de uma autarquia com vida, com história e com valores a defender. A Marinha não é aquilo onde vivemos. A Marinha deverá ser aquilo que sempre foi. Uma cidade de vanguarda. Quem não o reconhecer está mal posicionado. Gerir uma autarquia não é acumular mais de 20 departamentos numa mão só. É pura ilusão passageira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address