Mataram o ‘filho’

CuriosoCMMG, Logrado, PEM, Vicente25 Comentários


two_man_fighting2_1Durante meses pôde ler-se o Vicente a afirmar que o PEM estava sob a sua alçada e que era da sua responsabilidade. Do outro lado estava o Logrado a tudo fazer para que os louros do que do PEM pudesse sair fosse a si atribuído. Os dois quase andaram à bulha para ver quem podia colher mais frutos daquele que diziam iria ser o programa que iria desenvolver a terra e tirá-la do atraso em que tem estado. Quando o Logrado rompeu  ‘coligação’ percebeu-se que o PEM estava meio abandonado. Na semana passada ficou-se a saber que ele tinha mesmo morrido quando foram retiradas as verbas que a ele estavam destinadas. Poderia aqui concluir-se que apenas o Vicente tinha perdido o interesse pelo programa que dizia ser da sua responsabilidade. A questão está no facto de a modificação ao orçamento que foi feita que ‘matou’ o PEM foi aprovada com o voto favorável do Logrado. Ou seja, se é verdade que os andaram a tentar colher frutos daquele programa, não sendo menos verdade que foi o Logrado quem liderou esse programa, também é verdade que os dois decidiram tirar todo o dinheiro que estava previsto para aquele programa. Poderão alguns dizer que coerência é algo que os políticos raras vezes têm mas não deixa de ser muito estranho que o Logrado tenha dado apoio para matar o programa que foi condição para que votasse favoravelmente o orçamento no final do ano passado. Quer o Vicente que o Logrado decidiram matar o ‘filho’ em relação ao qual ambos reclamavam paternidade. Resta saber como vão agora explicar esta decisão aos que andaram a perder tempo nas reuniões que tiveram lugar. Aqueles que questionavam porque alguns não participavam nas reuniões e davam ideias têm agora a resposta: para não perder tempo com coisas inúteis.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

25 Comentário em “Mataram o ‘filho’”

  1. Avatar

    Mas vergonha é coisa que bem o Vicente nem o Logrado têm.
    Por outro lado têm muita, mas mesmo muita capacidade de mentir, até à eles próprios.

  2. Avatar

    E fizeram da massa crítica local e da câmara, assediada ou obrigada à participação nas suas reuniões noturnas tão publicitadas… uns grandes palhaços! Os mesmos que votam daqui a 12 meses, esqueceram..

  3. Avatar

    O Logrado ao levantar-se deve olhar para o espelho e pensar…
    Sou um ganda bluff e agora como é que eu vou aparentar que sou aquilo que eu quero que os outros pensem se mim.

  4. Avatar

    É pena que o Logrado não tenha conseguido (se calhar até nem é e eu pensava que era) coerente.
    Tinha pessoas boas com ele no +C que me parece que não devem alinhar nestes zigzagues.
    Segundo escreveu o curioso votou uma alteração que retira verba do PEM.
    A ser verdade, como vai justificar perante as pessoas que andou a envolver e a fazer perder tempo.
    É os munícipes?

    1. Curioso

      Caro anónimo. Para que não tenha dúvidas, deixamos a parte que foi aprovada. A coluna onde estão os 5 euros é referente ao que fica disponível e a segunda o que foi retirado.

  5. Avatar

    O Logrado diz tudo e o contrário, faz tudo e o contrário, critica tudo e o contrário. Um troca tintas. Dà tiros nele próprio a uma tal velocidade que não conseguimos acompanhar. Está todo cravadinho de balas, tanta incoerência , tanto pretenciosismo, …
    É um balão de ar que se esvaziou … Encontrou-se consigo mesmo no vazio, um vazio escuro e definitivo.

  6. Avatar

    Fui uma das pessoas, entre muitas, que colaborou no processo e o que tenho a dizer é o seguinte: o Pem foi uma bandeira do Logrado com total apoio e colaboração dos elementos do seu grupo + Concelho. Pessoas isentas e idóneas, disponíveis e empenhadas em dar o seu melhor em prol do Concelho da Marinha Grande. Quando o Logrado apresenta o projecto do PEM ao Vicente e se disponibiliza para colaborar na sua implementação, o Vicente mostra-se entusiasmado com a ideia e chama a si a paternidade da “criança”. É daí que o vemos todo entusiasmado nas reuniões no edifício da Assembleia e na Resinagem. Os primeiros temas são apresentados e criam-se grupos de trabalho com vista à criação de propostas e respectiva conclusão dos diversos temas. Concluídos os primeiros com êxito, outros se seguem e, é aqui que o Vicente, vendo que aquilo vai muito além do que imaginara e sentindo que que não é capaz de acompanhar o “barco”, começa a boicotar o processo, chegando a marcar outros eventos para a mesma hora em que se iam desenrolar acções do PEM. Chegados a este ponto era difícil o Logrado continuar a colaborar com o Vicente.Tal como diz a sabedoria popular: “quem não se sente não é filho de boa gente”. Sem que algo o possa fazer prever, de repente o Logrado é posto à margem, por que manda na Câmara, como “persona nom grata”. Tudo isto porque o Logrado pressiona o Vicente para que todo o trabalho desenvolvido e concluído seja implementado pelo executivo permanente. Como o Vicente e a sua equipa não o queriam fazer, porque isso iria mexer em certas estruturas que são consideradas intocáveis, deixou morrer o processo. De qualquer modo o trabalho feito está lá para quem o quiser implementar, no futuro. Todo o trabalho feito não teve custos para a Câmara porque foi um trabalho voluntário que não implicou qualquer despesa. Logo, o que se diz no post sobre a retirada de verbas não é verdade. O Logrado já esclareceu isso mas parece que há uma série de “cabeças duras” ou “orelhas moucas” que insistem em não compreender.
    Se não sabem, porque é que não perguntam ao Logrado o que é que se passou?São estas politiquices rasteiras que me chateiam, onde gente que não vale nada deturpa os factos e tenta enlamear o bom nome de pessoas honestas e trabalhadoras.

    1. Curioso

      Caro alrane. Refere que o trabalho está lá mas irá ser executado com que dinheiro se o próprio vereador votou no sentido de ficaram 5 euros para a sua execução? Esta é a verdade que consta dos documentos. Se não os conhece poderemos facultar. Os factos são estes e não foi dada qualquer explicação.

      1. Avatar

        Caro Curioso você sabe muito melhor do que eu como é que funciona o orçamento da Câmara. E também sabe o significado daqueles 5 euros se manterem naquele item, assim como sabe que aqueles valores retirados do PEM(que não ia ser implementado por quem manda na Câmara, por isso não eram lá precisos e que lá poderão ser colocados quando for necessário) se destinaram a outros apoios como o ACM, o Desportivo da Garcia, o S.C. Marinhense, a cozinha social do Casal Galego, etc.
        A postura do +Concelho e a aprovação da revisão e alteração do orçamento por parte do Logrado(embora haja muitos iténs com os quais não concordamos) e ao contrário de outras forças políticas que optam pelo nim, é para que a Câmara funcione.Como já tive oportunidade de esclarecer, o +Concelho põe em primeiro lugar o interesse do município.

        1. Curioso

          Caro alrane. Não deixa de ser estranho que o + Concelho tenha optado por dar prioridade a um relvado em detrimento da modernização da câmara quando essa foi uma das condições para que o orçamento fosse aprovado!

        2. Avatar

          Caro Curioso, que mais quer que eu lhe diga? Conhecendo o que escreve, creio que é suficientemente inteligente para entender que não está nas mãos do +Concelho avançar com a modernização da Câmara como todos gostaríamos. Sem a vontade, nesse sentido, de quem manda na Câmara, o +Concelho não pode fazer nada. Perante esta realidade o que é que nos resta fazer senão dar o nosso contributo, ainda que contrariados, para que a Câmara não pare?

        3. Curioso

          Caro alrane. Não pomos em causa que só se pode fazer alguma coisa se quem manda deixar e que há nisso muito entrave. Quanto a isso estamos de acordo. O que temos alguma dificuldade em entender é o modo como se abandona um programa sobre o qual até o caro alrane disse maravilhas. Abandonar o programa, retirando-lhe as verbas necessárias, apenas porque quem manda não quer, não é um comportamento próprio de quem deve fazer oposição. Ao agirem assim, ainda que contrariados, estão a não ser mais do que uma extensão do PS. De futuro fica-se a saber que sempre que lhe baterem o pé, mesmo que contrariados, irão fazer o que quem manda quer. Não nos parece que essa seja a postura que esteja de acordo com o que tem sido afirmado.

    1. Curioso

      Caro anónimo. Temos sempre muita dificuldade em entender as abstenções quando se trata de decidir algo. Ou se é a favor ou se é contra. Abstenção é sempre a forma mais simples de não se assumirem responsabilidades. Talvez por isso tenhamos escrito o que achamos que seria a posição que mais se conjugava com o que foi dito antes pelo partido.

  7. Avatar

    Ou verdade ou mentira. Se o Logrado deixou tudo pronto e nada avança deve apresentar as propostas para decisão da Câmara, acompanhadas do modelo econométrico que justifica a despesa, como defendeu nas reuniões de câmara. Se nao o fizer fica em causa o que diz o anônimo das 16:33.

  8. Avatar

    O pc não votou contra por medo de perder votos ao votar contra o acm. Abstenção numa revisão do orçamento e o mesmo que votar contra.

    1. Avatar

      Fale do que sabe e não diga asneiras. O que se votou foi uma modificação orçamental e não uma revisão.

    2. Curioso

      Caro anónimo. Tratou-se de votar uma modificação e não revisão. Votar contra é votar contra, abster é deixar que os outros decidam sem assumir responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address