CiganosCMMG

ciganos_acampamentoRecebemos um texto, enviado de forma anónima, relativo a um problema que continua a existir aqui na terra e que transcrevemos por nos parecer ser um assunto que merece que sobre ele se perca algum tempo: “A Câmara e toda a comunidade marinhense têm um grave problema para resolver que é o problema da etnia cigana. O que proponho não é nada contra os ciganos e sim arranjar forma de criar condições para que eles não  sejam um problema sem resolução e que toda a gente chuta para canto. Para isso é necessário cria um espaço onde eles possam estar sem criar problemas às pessoas. Abra-se o tema aos marinhenses para ouvir sugestões. A Câmara parece que não sabe o que fazer. Durante a última campanha eleitoral houve um movimento  que se interessou pelo assunto, dos ciganos (suponho que era o +Concelho) e dizia ter ter soluções para apresentar, talvez fosse bom ouvi-los.

Imagem obtida por busca na Google


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

  1. A ideia era segregá-los. Mas, estou seguro, nenhum deles o quereria na sua rua. Numa rua mito longe deles estariam bem. Os hipócritas são assim.
    Tivemos 2 hipóteses:
    Ou se integram ou vão embora.
    O problemas é que as autoridades toleram a eles coisas que nenhum de nós ousaria imaginar fazer.
    Perante eles somos portugueses de 2ª.

  2. O problema existe,
    e quem tem responsabilidades finge que não sabe. Alguém na Autarquia terá contribuido para que os ciganos tivessem residência na Marinha Grande e agora ninguém sabe o que fazer.
    Como não se podem fazer desaparecer por artes mágicas, estou de acordo que se arranje uma solução que possa acondicionar os ciganos num espaço próprio de forma a não perturbarem o dia a dia dos munícipes.

  3. O problema dos ciganos é que eles não se integram nem aceitam regras que não sejam as regras dos ciganos, muito próprias.
    Vivem espalhados por aí pelos pinhais, sem o mínimo de condições.
    Vivem como selvagens e se nada se fizer, dali só podem resultar comportamentos de acordo com a forma como vivem.Soluções para o problema precisam-se e a Autarquia tem que procurar resolver o problema, como é sua obrigação.
    Ninguém os quer como vizinhos e como tal alguém tem que tratar deste problema com seriedade.

  4. Não foi a autarquia mas sim a junta de freguesia é que tem culpa dos ciganos estarem na Marinha, dando residência na própria junta. Nas ultimas eleições o + Concelho tinha (tem) uma proposta mas as forças politicas “caíram lhe” em cima, essa proposta para a Marinha não servia mas em Leiria já está a começar uma solução parecida.

  5. A questão dos ciganos deve ser colocada à Câmara, de forma que esta procure uma solução.
    O esquecimento, como tem acontecido ao
    longo dos anos, só arrastará o problema indefinidamente.
    A forma como vivem coloca-os numa situação de marginalizados com consequências para toda a gente.
    Já foi dito que ninguém os quer como vizinhos, mas deve haver maneira de lhes arranjar um espaço onde eles possam viver e cumprir regras mínimas de conforto e higiene.
    Como não é fácil integrá-los na escola pública e a educação é fundamental para a sua integração,( o que vou dizer até pode parecer utópico) talvez se pudesse arranjar uma pequena escola no espaço que lhes fosse destinado, de preferência com professor da mesma etnia, ou outro que se sentisse capaz de lidar com a indisciplina típica dos ciganos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário