Cavaco

borat-movie-stillEstamos a poucas horas de escolher o novo Presidente da República. Tendo sido uma campanha em que um dos candidatos quase imitou o actual presidente, fazendo-se de morto, não escondemos que gostaríamos que pudesse haver uma segunda volta. O debate da passada terça-feira despertou o interesse e é altura de todos, ainda que faça muito frio, saírem de casa e irem votar. Apesar de andarmos um pouco fartos da campanha e da pré-campanha, a proximidade das eleições tem uma coisa boa! Estamos a pouco tempo de nos vermos livres do Cavaco. O momento dele regressar a casa aproxima-se e, independentemente de quem possa vir ganhar as eleições, esse facto é, só por si, boa notícia. Nunca como agora desejamos tanto podermos ver-nos livres de alguém. Foram demasiados os anos em que ele andou na política e demasiados os erros que cometeu, fosse como Primeiro-Ministro, fosse como Presidente da República. Acreditamos que a história irá lembrar-se dele não pelo que de bom fez (que temos dificuldade em recordar o que tenha sido) mas pelos erros que cometeu. Pena é que tenhamos que continuar a pagar as mordomias que os outros que o precederam também recebem. Ainda assim, é provavelmente um preço que vale a pena pagar. Resta esperar que ele não faça como um outro ex-presidente, que teima em manter-se na vida política e a mandar bitaites, e se remeta a um confortável silêncio os próximos anos e até ao fim dos seus dias.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

21 comentários

  1. Confesso que achei este post do macaco completamente descabido. A isenção que se esperaria de alguem que não tem problemas em apresentar os podres, seja da esquerda, seja da direita, aqui não esteve presente, e como tal, considero este como um dos piores posts que por aqui apareceram.
    Parafraseando um comico, pois muitas vezes é a rir que se dizem muitas verdades, “não havia necessidade”. mesmo.

    • Caro anónimo. Tentamos ser isentos, escrever os podres mas temos opinião. O texto foi escrito depois de tentarmos encontrar o que de bom o Cavaco fez. Talvez por problemas de memória nossa ou porque não conseguimos mesmo encontrar algo de bom, escrevemos o que leu. Foi mais um dos casos em que apenas encontrámos podres! Pode, no entanto, ajudar-nos a identificar o que de bom fez e pode ser que até mudemos de opinião.

  2. Como escreveu o anterior comentador, se formos pelo que de bom se fez, deixo aqui a pergunta: que trouxeram de positivo os dois mandatos do Jorge Sampaio?

    • Caro anónimo. Provavelmente também fez muito pouco ou nada de bom. A diferença é que o Cavaco não foi apenas Presidente, também foi Primeiro-Ministro e, também nessa qualidade, não conseguimos lembrar o que de bom fez. Pode sempre ajudar-nos a encontrar o que foi feito e bem feito e quem sabe até nos consiga convencer que estamos errados.

    • Caro anónimo. Nas ultimas eleições votaram nele 2.231.603 pessoas de um total de 9.656.797 eleitores. Nas anteriores votaram 2.758.737 de um total de 9.022.346 eleitores. Já no que diz respeito às legislativas às quais concorreu, em 1985 teve 1.732.288 votos, em 1987 teve 2.850.784 votos e em 1991 teve 2.902.351 votos. Em todas elas a abstenção foi sempre superior a 25%, tendo chegado mesmo aos 53,48%. É verdade que obteve a maioria dos votos mas não se pode dizer que represente a maioria dos eleitores. Uma última nota: em 1996 obteve 2.595.131 votos e perdeu para o Sampaio. Pode assim concluir-se que, dos cerca de 10 milhões de votantes, não consegue representar 1/3. Quanto a maiorias, parece-nos que estamos entendidos quanto à sua representatividade.

      • A questão da representatividade é muito relativa, porque sob esse ponto de vista, são muito poucos os presidentes de camara e até primeiros ministros que têm legitimidade.
        Na realidade, têm toda a legitimidade, pois tiveram a maioria dos votos EXPRESSOS. Se os restantes não se expressaram, foi porque tomaram a atitude de não ir votar, dessa forma delegando naqueles que votaram as suas responsabilidades.

        • Caro anónimo. Uma coisa é legitimidade outra é representatividade. Alias, o desempenho de Cavaco foi tal modo mau que nenhum dos candidatos, nem mesmo o Marcelo, quer ser associado a ele.

        • Mesmo falando em representatividade, a questão é exactamente a mesma e o meu comentário mantem-se, apenas alterando a palavra “legitimidade” para “representatividade”, pois na realidade, são muito poucos os orgãos que representam mais de 50% da população.
          Aliás, com uma pequena análise dos resultados da eleições legislativas, dá para perceber que nas vezes que o Cavaco
          foi eleito com maioria, foi sempre o que teve o maior número de votos expressos, algo que nenhum outro politico conseguiu.
          Admita. Macaco, que neste caso, ao chamar para aqui a questão da representatividade, não foi mesmo a mais correcta das opções.

        • Caro anónimo. É provável que tenha razão. Deveríamos ter ficado apenas pela parte da nulidade que ele foi.

        • Como o Sampaio, por exemplo, ou como todos os presidentes a partir da saída do General Ramalho Eanes. Pelo menos o Cavaco não foi tão estroina como o Soares, que se fartou de passear, ou mesmo como o Sampaio, qu epara alem de nada de util fazerem, ainda se fartaram de andar a estoirar o nosso dinheiro em passeios.

  3. não, o povo é suficientemente esperto para não querer um ex-terrorista da LUAR a frente deste Pais, afinal isto ainda não é a republica das bananas

        • Quais foram os atentados terroristas que a LUAR executou?
          Não me digam, que desviar um avião comercial para lançar 100 mil panfletos, contra a ditadura, sobre a Lisboa e umas cidades da margem Sul os tornou terroristas.
          Terem feito um assalto, para fins políticos, a um banco na Figueira da Foz, (o que hoje é o prato do dia mas para outros fins) os tornou terroristas. Já estariam a lutar pelo 25 de Abril. Vejam as coisas há época, mas eu é que sou ignorante.

    • Como não sou esperto, mas não engulo em seco e, não quero viver numa “República das Bananas”, aconselho a ler o Jornal I de 23 deste mês.
      Bom Sábado e, que amanhã façamos uma boa escolha em consciência.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário