“Vicentinas”

CuriosoCMMG, Santos5 Comentários


ciclovia_mg

Há dias, enquanto tomava o café, o adjunto fez referência a uma proposta do orçamento participativo de Amarante que vai gastar quinze mil euros em bicicletas para incentivar os turistas e promover a mobilidade urbana. Sendo esta uma terra que tem na sua história o recurso diário à bicicleta, é uma que poderia ser aplicada cá. Hoje, na reunião de câmara, a ideia foi usada pelo Santos como sendo algo que poderia ser implementado. No que pareceu ser a utilização de um argumento de convencimento, sugeriu mesmo que as bicicletas fossem chamadas de “vicentinas” (já que em Amarante serão chamadas de “Gonçalinas”) numa clara referência ao actual presidente da câmara. Temos dúvidas que alguma vez a câmara avance com uma ideia desse tipo, uma vez que o argumento dos custos de manutenção deverá ser colocado em cima da mesa, mas a chamada de atenção do Nelson não terá caído em saco roto. Claro que o Santos esqueceu-se, na ideia que apresentou, que para que as bicicletas possam circular é necessário que as ciclovias existam e, as que existem, estejam em condições de nelas se poder circular, o que nem sempre acontece.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 Comentário em ““Vicentinas””

  1. Avatar

    O argumento dos custos de manutenção não colhe sempre.
    As ciclovias não são um luxo… são uma necessidade!
    Em nome do Ambiente e em nome da Saúde Pública!
    A Marinha Grande tem as melhores condições, a par das maiores capitais da Europa que há anos promovem esta alternativa de mobilidade urbana sustentável, só lhe falta ter a determinação política de quem gere o orçamento municipal.
    Com 9 milhões de euros no banco, o argumento dos custos de manutenção não colhe mesmo!

    1. Avatar

      A TUMG tem o seu papel e o seu lugar… e não me custa que a Câmara dispenda dinheiro para a manter desde que tal se traduza num serviço de qualidade aos Marinhenses.
      Infelizmente somos demasiado individualistas e todos gostamos mais de andar nos nossos pópós em vez de usar os transportes públicos.
      É uma questão cultural.
      Gostamos tanto de apelar aos exemplos do norte da Europa, mas é apenas para reclamar mais salários… porque não olhamos para o exemplo que nos dão no uso sustentável dos recursos naturais.
      De políticos a Executivos, Profissionais Liberais, Empresários e simples Cidadãos, jovens e menos jovens, todos andam nas ruas de bicicleta ou de transportes públicos.
      A TUMG precisa sim de se modernizar nos serviços, actualizar nas linhas e ajustar-se às reais necessidades da população.
      Se isso custar dinheiro à Câmara que custe… desde que seja mais económico para os Munícipes!!!
      Mais a TUMG poderia muito bem ser a Empresa Municipal de gestão de todos os Transportes Públicos, incluindo um serviço de aluguer de bicicletas com parques/pontos de recolha/entrega próprios e um sistema moderno de pagamento do uso.
      Há Cidades onde o mesmo cartão electrónico serve para autocarros, metro, eléctrico e… bicicletas!!!

      1. Avatar

        Sr vereador sem pasta Nelson Araújo. Implemente lá tudo isto que aqui escreve e nós apouamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address