CavacoEleições

cavaco_silva_terminatorComo seria previsível, depois do Costa não ter apresentado o acordo com o PCP e BE, o Cavaco avançou com a nomeação do Passos. Até aqui nada de anormal. O que o Cavaco não necessitava de dizer era que “em 40 anos de democracia, nunca os governos de Portugal dependeram do apoio de forças políticas antieuropeístas, isto é, de forças políticas que, nos programas eleitorais com que se apresentaram ao povo português, defendem a revogação do Tratado de Lisboa, do Tratado Orçamental, da União Bancária e do Pacto de Estabilidade e Crescimento, assim como o desmantelamento da União Económica e Monetária e a saída de Portugal do Euro, para além da dissolução da NATO, organização de que Portugal é membro fundador” ou que “considero serem muito mais graves as consequências financeiras, económicas e sociais de uma alternativa claramente inconsistente sugerida por outras forças políticas“. O Cavaco parece querer manter a sua linha ideológica na governação do país, independentemente do que possa sair daqui a dias da decisão dos deputados. É conhecida a nossa antipatia pelo Cavaco mas depois do que ontem ouvimos dele, o sentimento que passámos a ter é o de receio. Receio pelo que possa ser a sua actuação no futuro recente agora que se sabe que ele nada mais tem a perder. Daqui a meia dúzia de meses irá ausentar-se, felizmente, da vida política e, à semelhança do que tem feito, parece pouco se importar com o que possa acontecer ao país desde que a sua vontade e as suas ideias possam ser as que orientam os destinos do país.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

14 comentários

  1. A actual camara deve cair ! com base nessa teroria manhosa de Costa e afins os marinhenses votaram que o PS, embora ganhando a Camara, não a deve governar pois a soma dos votos da oposição e bem maior. Ou nestes casos já não vale?

    • Se a oposiçao se unir, é claro que a Câmara cai! E é claro que vamos para eleições! E é claro que assim deveria ser, atendendo a que o Álvaro foi afastado do cargo de presidente ( chamem-lhe doença, mas o homem estava decidido a voltar e… não o deixaram!) Como estamos é que não faz sentido nenhum!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário