Onde pára o piano?

CuriosoCMMG, Vitor7 Comentários


piano-player_vitorNão conhecemos os dotes musicais do Vítor mas isso é também o que menos importa. O que importa é aquilo que a vereação da cultura gasta com o que vai programando para dar ocupação à Casa da Cultura. Temos assistido ao pouco que tem sido organizado e há uma coisa que ainda não vimos ser usada: o piano! A câmara comprou o piano no final do ano e a ideia com que ficámos foi a de que aquela compra era necessária porque havia já uma série de espectáculos organizados onde o piano ia ser necessário. Só assim se explicava a rapidez com que ele foi comprado. Estranhamente, já vamos entrar no terceiro mês e do piano não há sequer vestígios! Para que foi então comprado um instrumento musical tão caro para estar sem ser usado? Se era para ganhar pó, poderiam ter gasto menos. Uma gaita de beiços também ganha pó e ficava mais barata! Quando se soube desta compra houve quem dissesse que era mais uma aquisição megalómana, para combinar com as obras que foram feitas, mas quisemos acreditar que não era assim. Passados já uns meses desde que os cofres da câmara ficaram mais vazios, a conclusão a que temos que chegar é a de que não havia necessidade de se ter gasto tanto dinheiro. Ainda que haja na câmara quem duvide de que se poderia ter alugado um piano a um custo reduzido, a verdade é que hoje, com muitos dias já passados, se chega à conclusão que nem o aluguer do piano tinha sido necessária, quanto mais a compra! É que nem música nos dão!


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

7 Comentário em “Onde pára o piano?”

  1. Avatar

    Uma casa daquelas sem um Piano? Então o meu caro não percebe que o Piano não é usado, mas enfeita. O problema vai ser quando for estreado. Vai forçosamente que ser afinado e a coisa não vai ficar barata, não vai não.

  2. Avatar

    Provavelmente a compra do piano pretende ser como que uma afirmação política – nada original, afinal! Já antes houve quem tivesse tido ideia tão brilhante e requintada:

    “Apareceu recentemente um piano de cauda numa praia de Miami.
    O piano tornou-se um fenómeno de popularidade, atraindo turistas e curiosos. As autoridades foram alertadas mas alegaram que não iriam remover o piano a menos que este se transformasse numa ameaça para as embarcações ou para a vida marinha.

    Depois de terem posto o mundo a falar do piano, um casal de realizadores, Billy e Anais Yeager, confirmou ter levado o instrumento para o local com o intuito de filmar a última parte de uma trilogia chamada Jesus of Malibu, que segue a viagem de um homem pela América.

    O piano foi levado para a praia durante a madrugada, há cerca de três semanas – segundo o “USA Today” -, com o auxílio de uma barcaça de fabrico caseiro puxada por um barco. Demorou seis horas.

    “O filme é sobre a revelação das mentiras do mundo”, indicou Billy Yeager. “É acerca do poder da música, do cinema, da vibração [sic] e de como isso afecta (…) o controlo da mente.

    Depois de filmarmos, deixamos os instrumentos, porque é uma afirmação política. É uma revolução artística contra os media, a corrupção das artes e o controlo e a escravatura das pessoas”, indicou Yeager citado num dos blogues do jornal gratuito “Miami New Times”.

    O objectivo de deixar o piano foi o de gerar uma mensagem negativa, disse Yeager. “Eu fui criado em Miami e sei da vaidade que por aqui grassa. Não há nada esclarecedor. Não há nada verdadeiro. É só vaidade. Por isso não é uma história alegre. É um protesto”, acrescentou o realizador.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address