CMMGSem categoria

374241Esta é uma avenida onde, a partir de esta semna, alguns carros vão deixar de poder circular. Não é cá! Por cá ainda se pode circular à vontade. Não acreditamos que uma medida como aquela que foi tomada pelo Costa possa aqui ser implementada – apesar de haver já quem não ande de carrinho velho. O problema que Lisboa tem  não é, no entanto, único. Por cá há zonas onde o trânsito é de tal modo intenso que não há quem tenha descanso. Que o digam os que são confrontados com passagem permanente de camiões. Naturalmente que é necessária essa passagem e não se consegue hoje ver como é possível resolver aquele assunto. A parte que é curiosa é que, tanto quanto nos recordamos, foi tentada uma solução mas que teve que ser abandonada porque o valor que foi pedido pela câmara foi excessivo. Em 2010 a câmara aprovou as obras que iriam permitir que fosse feita uma alteração substancial na empresa mas depois deteve mais olhos do que barriga. Em 2013 o Vítor, na altura na oposição, criticou duramente a câmara por ter exigido 525.000 euros de taxas para a realização das obras, tendo sido, por esse motivo, abandonada a ideia de serem feitas as obras. Se por Lisboa o Costa põe taxas para que os carros deixem de ir para certas zonas da cidade, por cá a câmara impôs taxas para que os carros (pesados) não saiam! O que é curioso é que quando os habitantes da zona mais afectada se queixam, ninguém na câmara assume que a culpa de o problema existir está neles próprios que não tiveram a sensibilidade necessária para não exigirem o que era claramente exagerado. Mas não se pode pedir muito de quem não sabe o que é a realidade da terra onde os munícipes vivem!


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário