CMMGTurismo

Raros são os dias que as nossas caixas do correio não são cheias daquela publicidade que nos tenta convencer ir gastar dinheiro aqui ou ali. É um dos meios usados para divulgar o que se tem. Há anos que nas nossas caixas do correio não há uma comunicação da câmara relativa a qualquer evento que seja por eles organizado. Esse é um dos motivos de quem aqui vive não saber o que se passa por cá. A divulgação não melhorou nada desde as últimas eleições. O exemplo disso esteve ontem na praça em frente à câmara. Numa noite que até não esteve desagradável, a praça poderia ter estado cheia para se ouvir cantar o fado mas isso não aconteceu. Não se pode dizer que a escolha tenha sido a melhor e queremos acreditar que não foi feita por questões partidárias mas a segunda parte compensou o que a primeira deixou a desejar. Ainda assim, a noite começou por ninguém saber onde se dirigir para ir comer e culminou com uma praça que não teria muito mais do que meia centena de pessoas! Se o evento se destinava celebrar o Turismo, ele ficou muito aquém do que se poderia pensar mas não admira, poucas eram as pessoas que tinham conhecimento do que ia acontecer. Os próprios comerciantes não tinham conhecimento que ali ia ter lugar alguma coisa senão quando começaram a ver ser montado o palco. A falta de contacto com os interessados mantém-se. A câmara continua fechada sobre si própria sem conseguir perceber que o que possa fazer apenas tem valor se as pessoas a quem se destinam os eventos tiverem deles conhecimento. Apesar de por lá andarem alguns dos vereadores, faltaram as pessoas que poderiam ter tornado a noite e o evento em algo muito animado se, pelo menos, disso tivessem tido conhecimento. Para quem subiu ao palco deve ter sido frustrante verem uma praça quase vazia por culpa que apenas pode ser atribuída à falta de divulgação. De vez em quando gostávamos de ter na caixa do correio publicidade não endereçada vinda da câmara mas sabemos que isso é pedir demais! Se a celebração do dia do Turismo teve este evento como exemplo, entende-se a razão de aqui não haver turistas. 

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

4 comentários

  1. Foi somente um palco para as vaidades e para os vaidosos. Algumas que acharam que iam para um jantar de gala outros que não largaram os ténis. A Marinha no seu pior foi vista ontem no jantar e na Praça. Um banquete destinado apenas a alguns, uma praça transformada em casa de fados sem publico mas onde os vaidosos não deixaram de estar presentes.

  2. A tristeza habitual, a câmara há muito que despreza, o turismo, os seus turistas e os eventos que ela própria organiza. Não se pode compreender que no dias de hoje não exista informação difundida sobre aquilo que se promove nesta terra, que o seu posto de turismo continue a ser esquecido e escondido em qualquer recanto, que não existam placas sinalizadoras dos locais a visitar e que espaços inaugurados há pouquíssimo tempo estejam sempre de portas fechadas.

    M.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário