OPPCP

No passado fim-de-semana reuniu-se a assembleia concelhia do PCP. Como seria de esperar, nada de novo surgiu e, tal como acontece nos matraquilhos, todos remataram no mesmo sentido. Não que se esperasse que houvesse novidades mas havia quem esperasse que houvesse algumas mudanças. Não aconteceu nada do que se poderia esperar e o PCP vai continuar a ser mais do mesmo do que já se conhecia. Claro que o facto de hoje serem parte do poder e de terem pelouros faz com que, aqueles que antes estavam à frente do partido, possam dizer que conseguiram fazer um bom trabalho, tanto mais que até chegaram ao poder. Resta saber se os que votam pensam assim! Nas últimas eleições o eleitorado foi claro ao dizer-lhes que eles não mereciam a mesma confiança que antes lhes tinha sido entregue e, ao contrário do que hoje alguns podem pretender esconder, foi-lhes tirado um vereador. Ainda assim, pelo que deu para perceber por aquilo que se ouviu e por todos aqueles que continuaram sentados nas cadeiras do poder do partido, não parece que tenham conseguido perceber o que os eleitores quiseram transmitir. Iremos assim continuar a ver o que antes se via, com o partido a ter o mesmo papel que até agora tem assumido. Isto leva-nos ao que alguns já falam, tendo em conta a capacidade indiscutível de organização e mobilização para alguns fins que os partidos continuam a ter, do que poderá acontecer quando, daqui a uns dias, começar a discussão do orçamento participativo. Não custará imaginar que, prevendo-se que a participação não será muita por parte dos munícipes, possa vir a ser aprovada alguma proposta vinda do interior dos partidos e que possa ser aprovada fruto da força da mobilização que se possa conseguir. Este cenário é, aliás, algo que poderá acontecer com qualquer força partidária que consiga mobilizar os seus fieis eleitores em torno de uma qualquer proposta que possa interessar a um partido. Estamos curiosos para ver se a ideia do orçamento participativo não será apenas uma forma de um dos partidos do poder, ou todos, conseguirem aprovar algo que lhe interesse! Claro está que quem pensa isso está apenas a antecipar-se ao que possa vir a acontecer certos de que, entre o que possa ser imaginado e o que possa vir a acontecer, poderá não existir tanta diferença quanto se possa à primeira vista pensar!

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

11 comentários

  1. Fazem-me lembrar aquele que ia na autoestrada em sentido contrário e dizia “Que se passa? estão todos a andar em sentido contrário”.
    Uns pararam no tempo e outros (os mais jovens) nunca estiveram no seu tempo. Por isso estão sempre contra tudo e contra todos os que queiram o progresso e que queiram pensar pela sua cabeça, sem recurso a cassetes.

    Triste terra esta governada por gente assim. Valham-nos os empreendedores, muitos deles até foram comunistas. Souberam perceber que há caminhos mais úteis à sociedade.

  2. Há pouco ouvi o Pinto da Costa em conferencia de imprensa de apresentação do novo treinador do FCP dizer que há gente (comentateiros) que é paga para dizer mal, pois se disserem bem perdem o emprego. Não é o caso. Aqui dizem sempre mal, de borla.

    Cristiano

  3. Parece que não deixaram o Tojeira ser da comissão concelhia. o zé luis e filipe não aceitaram e nem foi votado o nome.
    grandes democratas estes senhores.
    que tristeza para quem apregoa a democracia.
    estes tristes do meu partido ainda acabam com o PCP na Marinha Grande

  4. Olha outro. Mas não tem gente nova com história de vossa que se veja para renovar o partido.
    O Tojeira tem história mas esta agarrado ao passado, ainda não passou do PREC

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário