CMMG

Desta vez sem que a imagem seja mexida, fica-se com o resultado da acção de divulgação que a câmara põe em prática. Meia dúzia de pessoas estiveram no evento que este fim-de-semana teve lugar, “Contos ao pôs-do-sol“. Apesar de se insistir nessa lacuna, os responsáveis da câmara parecem não aprender e tudo se mantém como se a divulgação estivesse a ser feita de forma minimamente aceitável. Lá surge, de quando em vez, o reconhecimento de que essa é uma área onde precisam de intervir mas tudo parece ficar-se pelas palavras. O resultado está à vista. Neste caso nem se pode dizer que o público não compareça porque não tem interesse! Não comparece porque, pura e simplesmente, não tem conhecimento do que é organizado. Isto leva-nos a questionar até que ponto estão a ser bem utilizados os meios que a câmara dispõe e se o que estão a gastar com estes eventos não está a ser deitado fora. De que adianta dizer-se que se organizam eventos se ninguém deles tem conhecimento? Que adianta gastar-se dinheiro para que ninguém esteja presente? Ficamos mesmo com a dúvida se não existirá aqui uma má utilização dos dinheiros públicos. Será bem gasto o dinheiro para criar um evento que depois não é dado a conhecer de forma minimamente aceitável? Não nos parece! A menos que alguma coisa mude, dentro em breve o pelouro da cultura ficará sem ter que se preocupar em organizar o que quer que seja já que não haverá quem queira sequer vir cá mostrar o que é capaz pois corre o risco de ficar a actuar para o boneco.

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

  1. Basta dizer que fizeram. Para eles chega pois podem dizer que foi mais uma iniciativa. Conta para as estatísticas. Se fossem sérios diriam tb quantas pessoas por iniciativa
    É pena que haja tanta falta de respeito pelos músicos e por todos nós.

    Não perceberam que ganharam, mas perderam um vereador cada um. Não foi pelo facto de os marinhenses estarem satisfeitos.

  2. Num dos artigos semanais do João Paulo, ele referia-se à enorme afluência que uma peça de teatro infantil, organizado pela câmara, teve. Realmente foi necessário fazer duas sessões em vez de uma como estava previsto e as ruas da Marinha estavam cheias.
    Então que aconteceu de diferente nesse dia?
    Muito simples, todos os miúdos das escolas levaram um convite para casa para ir assistir à peça, e como miúdos que são chatearam os pais para ir, como o dia não estava nada feio (eu também fui) até foi o pai, a mãe os irmãos, os avós….
    O que houve então de diferente? houve divulgação! e a população aderiu.
    Informem a população do que fazem e façam coisas que elas querem ver que de certeza vão ter publico.

  3. Uma vergonha… Um espetáculo para crianças e estavam mais adultos que crianças. Divulgação -ZERO. Esta coligação PS/CDU não aprende. É uma pena… mas depois vai aparecer nos papéis que fizeram. São uns tristes. Não têm estratégia nenhuma que se pareça com alguma coisa de jeito… Enfim… é o que temos…

  4. Utilizem os outdoors para promover a cultura da Marinha Grande. A cidade do Porto, para além de outras formas de divulgação é assim que faz,e bem.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário