Bombeiros

Acreditamos que praticamente todas as crianças já imaginaram ser bombeiros. Pensamos que faz parte daquele rol de profissões que todas as crianças dizem que gostavam de ser quando forem grandes. Alguns crescem e tornam-se bombeiros outros ficam-se pelos sonhos de liderança! O problema existe quando as crianças crescem, tornam-se bombeiros e têm o azar de serem voluntários no quartel aqui da terra. Pelo que conseguimos saber, o quartel não tem condições para que os voluntários possam ter o mínimo de condições para poderem cumprir a sua função. As camaratas onde deveriam poder descansar, com lugar para dezanove, não permitem que aqueles que podem ser chamados para uma qualquer emergência o possam fazer sem perturbar o descanso dos outros. Sempre que há uma chamada, todos são despertados porque o sistema existente, já obsoleto, acorda todos, mesmo aqueles que não têm que ser acordados. Claro que existe a promessa de que lá para o final do ano a câmara deverá dar uma ajuda nas obras que são necessárias mas, até lá e admitindo que isso irá ser cumprido, aqueles a quem todos nós recorremos em tempos de aflição estão entregues a si mesmos, sem o mínimo de condições. Ali mesmo ao lado da majestosa, mas inútil, Casa da Cultura e quase em frente na inaproveitada Resinagem está um quartel de bombeiros onde os voluntários quase têm que pagar para fazer voluntariado. Aqueles que hoje têm crianças que sonham vir a ser bombeiros quando forem grandes poderão dar-lhes um conselho que eles por certo agradecerão: sejam mas não aqui na terra!

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 comentários

  1. Como se as restrições financeiras sentidas pela CM ou pelos Bombeiros Voluntários da MG fossem um pblema exclusivo da terra…
    Fazem lembrar os que entre 2008 e 2011 falavam da crise em Portugal e ignoravam (porque convinha) que a crise tinha começada ‘lá fora’ e que Portugal estava a ser ‘arrastado’ pela mesma…
    Aqui passamente exactamente o mesmo…
    Com o ‘aperto’ que as CM’s têm levado… falta dinheiro para muita coisa… e muitas vezes, para o essencial… e não é só por aqui.
    Não apenas os BV da MG que têm razões de queixa… são os de todas as Corporações a nível nacional.

  2. Ó anónimo das 14h30… é verdade que muitas Câmaras estão com problemas. Mas então se não há dinheiro, porque é que se gastou 8 milhões na casa da cultura e na resinagem? Não quero com isto dizer que estas obras de reabilitação não fossem necessárias, mas a megalomania desta recuperação retirou verbas, por exemplo, ao quartel dos bombeiros. Tinha-se gasto 2 ou 3 milhões, fazia-se de certeza uma excelente recuperação e podia-se gastar o resto onde é realmente necessário.

  3. Há dinheiro para tanta coisa menos para o que realmente é necessário.
    Haja vontade. Deixem-se de mesquinhices e resolvam de uma vez por todas o problema.
    Terreno deve haver e bem localizado para o fim em questão, projeto alguém que se ofereça para o fazer, que depois tudo se ade resolver, com mais ajuda ou menos ajuda, com mais festa ou menos festa, os rapazes merecem o esforço.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário