Provedor do Munícipe

CuriosoProvedor14 Comentários


Pelo que lemos, o Logrado irá apresentar a proposta de criação do Provedor do Munícipe. Na qualidade de munícipes nada temos contra a criação dessa figura. Existir alguém que possa ouvir as reclamações dos munícipes é algo que dificilmente alguém poderá estar contra. Claro que acreditamos que a proposta vá cair em saco roto e os demais vereadores irão rejeitar a ideia. Se for aprovado será uma surpresa! Não Conseguimos imaginar o que será ver os vereadores que ocupam os diversos pelouros, e seus adjuntos e chefes de gabinete, a terem que dar resposta a uma pessoa que possa estar ali para defender os interesses dos munícipes. Se nem aos restantes vereadores eles dão respostas em condições, como esperar que o façam a um estranho às cores políticas! Mas reconhecemos as vantagens da existência desta entidade autónoma. Pelo que lemos do regulamento que o Logrado deverá ir propor há, no entanto, coisas que não entendemos ou que precisam de ser clarificadas. Se, por algum milagre, os restantes vereadores aceitarem a proposta, a escolha da pessoa que irá desempenhar tal função será feita de que modo? Quais os critérios que estarão na base da sua selecção? Além de ter que residir há algum tempo no concelho, que outras características terá que ter? De que modo poderá ser assegurado que não será apenas um personagem sem quaisquer poderes efectivos? Não deverá ser alguém que não tenha qualquer filiação partidária e não apenas não ter sido candidato? A poucos dias da reunião onde isso deverá ser proposto, parece-nos que o Logrado deveria pormenorizar mais a proposta que irá apresentar para que não tenham os restantes vereadores grande margem para poder recusar a proposta.

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

14 Comentário em “Provedor do Munícipe”

  1. Avatar

    As características pessoais vai da decisão de cada munícipe, ao achar que uma determinada pessoa reúne condições para vir a ocupar o lugar. A escolha é feita através de um referendo local.

    1. Avatar

      Caro anónimo. Mesmo que seja referendada a escolha, terá que ser de entre alguns que possam ser propostos. Quais os pressupostos da escolha?

  2. Avatar

    Devem viver noutro mundo.
    É mais uma acção populista do Logrado que nada vem acrescentar. Todos esperaríamos que gastasse energias com assuntos que efectivamente pudessem mudar as nossas condições de vida.
    Não iria servir para nada e seria apenas um faz de conta.

    1. Avatar

      O anónimo 15:19 deve ser daqueles que mandam. Por isso compreendo que queira amordaçar os outros e que em consequência escreva estas parvoíces.

  3. Avatar

    Tenho assuntos a comunicar ao Provedor do Munícipe que estes e os outros autarcas nem sequer me quiseram ouvir. Venha o Provedor, já, com ele a ditadura terá menos expressão. Fiquem sabendo que não conheço pessoalmente o tal Logrado, mas que parece estar ao lado dos ignorados, lá isso parece. Dê mais provas… e teremos um autarca diferente para melhor.

  4. Avatar

    Concordo com o Anónimo das 18:02, chamem-lhe o que quiserem, mas que o homem está a mexer com o “poder instituído”…. está, quer dar voz aos munícipes, algo que incomoda quem está no poleiro e não consegue olhar à sua volta. Bem haja, Eng,º Carlos Logrado pelo seu serviço a causa pública. Os Marinhenses precisavam de ter uma voz atuante/interventiva no executivo e não mais do mesmo, como acontecia no passado.

    1. Avatar

      Desculpe 43, mas eu votei e até agora estou a dar por bem empregue o meu voto. Ficava aborrecido era se ele (C. logrado) não fizesse nada.

  5. Avatar

    A ideia é boa, no meu entender. O Provedor do munícipe terá por função dar voz aos cidadãos do Concelho, apoiá-los, aconselhá-los e defender os seus interesses junto do executivo, tantas vezes “surdo” às queixas dos munícipes.
    A escolha da pessoa para esse lugar é que poderá ser mais complicada. Pessoalmente,entendo que deve ser proposta e escolhida pelos munícipes sem influência do executivo.
    A figura do Provedor do Munícipe já existe em alguns Concelhos do País e atendendo ao fim a que se propõe, será difícil compreender que possa ser rejeitada.
    Como se costuma dizer: ” o caminho faz-se caminhando e começa sempre com o primeiro passo”.

Leave a Reply