CMMGTocándar

Desde há muito que se sabe que os Tocándar andam com problemas por causa da sede. Com todo o mérito, aquele grupo tem vindo a dar ocupação a muitos jovens, afastando-os dos problemas que muitos jovens desacompanhados padecem. O Tojeira tem tido um papel que não pode deixar de ser considerado como meritório. A dedicação tem sido muita. Sabe-se que há uns anos foi prometida uma sede e que, até agora, nada existe. A semana passada terá havido uma reunião com a câmara onde terá, pelo que foi anunciado, havido aceitação para se fazerem obras no parque, onde antes existiam os campos de ténis. É aqui que nos parece que a câmara poderá vir a cair em mais um erro. Que o grupo merece ter um local onde poder ter o material e ensaiar é indiscutível. O que nos parece ser discutível é o facto de a solução ter que passar por se gastar mais dinheiro a fazer mais obras quando poderiam ser encontrados outros cenários que, com alguma boa vontade, ajudariam a optimizar instalações de colectividades que estão com pouco movimento. Durante anos o parque esteve mal-tratado por falta de dinheiro e de atenção e agora já há o que é necessário para muito mais do que reparar uns balancés! Sendo o Vitor alguém que deveria estar habituado a lidar com os problemas das colectividades, parece-nos que poderia encontrar uma solução que não passe por se estar a levantar mais paredes. É que, sendo as obras, que parece foram aceites, feitas à medida das necessidades daquele grupo, que utilização será dada quando o grupo deixar de ter actividade? Serão mais umas instalações que ficarão às moscas? Há, acima de tudo, que não esquecer que o grupo existe graças ao Tojeira e enquanto ele estiver ao comando – mesmo que venham dizer o contrário. Será a solução de estar a gastar mais dinheiro, que pode fazer falta noutras coisas, a fazer mais paredes a melhor solução? Quando se sabe que há outros locais, colectividades por exemplo, que, com alguma coordenação por parte da câmara, poderiam ser usados, sem custos elevados, com a vantagem de poderem dar vida a alguns espaços que precisam de movimento, porque não os usar? Não seria mais racional por os miúdos do grupo a dar uma contribuição para que uma, ou mais, colectividades não morram? Temos sérias dívidas que a solução apresentada seja a melhor para o concelho.

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

7 comentários

  1. Gostaria de saber se a D. Cidália Ferreira continua a ser a Presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, papel que segundo sei tão bem tem cumprido, ou se será outra pessoa da CMMg e quem. Obrigada

  2. Já pertenci ao Tocándar. Foi uma boa escola para mim. Continuo a adorar aquele grupo. sei que ao longo de anos sempre se tentou arranjar uma sede e que fizemos várias propostas que nunca foram aceites. Vaço votos para que seja desta. e que o tocándar continue por muitos anos a bater nos seus tambores e a soprar nas suas gaitas.

  3. Sem tirar o mérito e o valor indiscutivel do grupo (e do Tojeira), que tão bem tem representado a nossa terra por todo o país e além fronteiras, pergunto eu porque razão deve a Câmara construir uma sede para esta ASSOCIAÇÂO, se nunca tal aconteceu com nenhuma das outras existentes ????

  4. Olhe que não! A camara já cedeu instalações a várias ASSOCIAÇÕES. E bem!! (Judo, Clube Automóvel, ADSER, Picassinos – usam o pavilhão neri capucho, moer – em s.pedro de moel, as associações todas que vão estar no edifício onde era a IVIMA, quer mais? etc.) então e agora o Tocándar é que não deve ter sede?

  5. Acho que a solução encontrada ou proposta, não é a melhor. A serem feitas obras, deviam de ficar localizados junto do Arquivo Municipal. Se não, deviam de ser colocados na FAE.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário