CMMGFAG

Recordamos que há uns meses atrás foi realizada a FAG e que a câmara aguardou até à quinta-feira antes da abertura para dar a conhecer que iria dar o apoio que a organização necessitava. Ao longo dos anos aquela tem sido a feira que tem procurado dar a conhecer o que por aqui se faz em termos gastronómicos e de artesanato. Pelo que sabemos, a organização daquele evento tem vindo a passar por algumas dificuldades e há mesmo quem diga que, sem apoio da câmara e da junta, a sua realização pode estar em causa em anos futuros. Parece-nos que a câmara deveria não só apoiar a realização deste evento, como incentivar a sua continuação, ajudando a dar-lhe mais vida. Seria uma forma de dar apoio à associação. Sem que se fizesse prever, a câmara decide agora organizar uma semana gastronómica que dever ter lugar na próxima semana. Sabendo das dificuldades que a ASCDCG tem sentido para conseguir manter o evento vivo, a câmara decide organizar um evento semelhante! Ainda que seja com a colaboração de 13 restaurantes (não sabemos quais) nas suas instalações, parece-nos, no entanto, que esta semana gastronómica, que não irá fazer mais do que a FAG tem feito, poderá vir dar a machadada final naquele evento, pondo em causa a sua realização futura. O concelho não necessita de duas realizações quase iguais. Não conseguimos entender a razão de, havendo já uma feira da gastronomia no concelho, a câmara decidir fazer algo quase igual! Copiar o que uma associação tem vindo a fazer, e a conseguir manter com as dificuldades que se sabe que existem, mais não é do que retirar-lhes a possibilidade de continuarem a ter o exclusivo e originalidade da realização de um certame, ditando o seu fim. Não é fácil de perceber a razão da câmara fazer concorrência a uma associação, fazendo quase o mesmo. Parece-nos que em vez de fazerem uma quase cópia, deveriam procurar estabelecer uma parceria com a associação para que não tenhamos duas realizações quase iguais. Não fosse sentirmos que a semana da gastronomia estava a ditar a morte da FAG, até poderíamos tentar esquecer que estamos em ano de eleições e achar que a semana organizada era uma realização útil e que poderia trazer algo de bom para dinamizar um pouco a terra! Assim não conseguimos! Com tanta coisa que poderia ser organizada, porquê esta? Porque não fizeram a semana gastronómica integrada na Feira da Gastronomia, nos dias que se seguiram? Não discordamos de uma iniciativa assim mas parece-nos que deveria ser associada ao que já ser fazia, para que ninguém saísse prejudicado. 

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

32 comentários

  1. Em ano de eleições, há dinheiro para tudo e iniciativas para tudo e mais alguma coisa. Será que ainda não se aperceberam que estão a dar muito nas vistas e que o povo já não é tão burro quanto eles pensam?
    Andaram quatro anos sem fazer nada e de repente lembram-se que há gastronomia. Deram saltos na cerimónia de entrega do prémio das 7 maravilhas mas tudo morreu no dia a seguir. Não deram à FAG, que é já conhecida a nível nacional e está nos roteiros turísticos, o apoio necessário com a antecedência necessária. Agora fazem esta semana, sem que digam quais os restaurantes que estão envolvidos.
    Não concordo em tudo o que o Curioso escreveu mas não deixa de ser verdade que organizar duas mostras gastronómicas na Marinha vai fazer com que uma delas possa ser relegada para um plano inferior. Nessa parte concordo que deveria ter sido dado mais apoio à FAG em vez de estarem agora a fazer isto.
    É campanha eleitoral a funcionar.

  2. o que o povo quer é “coisas” feitas, que seja em 4,3,2 anos ou em 3 meses; o que conta é o resultado e lembrem-se do ditado: roma não se fez num dia; força executivo

  3. Isto é o eleitoralismo no seu melhor! A ideia seria boa se não fosse feita em cima do joelho, e com intenções eleitoralistas, porquê? A FAG está quase a asfixiar, precisa de uma reviravolta urgente! Mas para isso não é só necessário dinheiro, como um apoio logístico imperioso por parte do Município, e não é metendo a mão na Organização, mas considerar o referido Evento como de interesse Municipal. E com este procedimento poderão alterar tudo, Casal Galego, deixa de organizar a FAG sempre com o coração na mão. Basta colocar os meios humanos da Autarquia a trabalhar num modelo de divulgação e promoção, “vendê-la” para fora da Marinha Grande e até para fora do nosso País, isso sim! Isso era uma visão estratégica para a promoção do Concelho.

  4. São dois eventos completamente distintos: a FAG que se saiba nenhum restaurante do concelho lá participa, por razões várias, uma delas custos;
    Esta semana é uma excelente iniciativa, porque vai dinamizar os restaurantes e a gastronomia. Parabéns e o Curioso que se informe melhor pois se acha que estes dois eventos são semelhantes antes mesmo a dormir.
    Eu sou dono de um restaurante e aplaudo esta iniciativa, que é uma forma de termos clientes.
    Parabéns à Câmara por dinamizar os restaurantes do concelho.

    • Caro anónimo. Respeitamos as opiniões diferentes das nossas mas gostaríamos de perceber, se nos conseguir ajudar, em que medida os restaurantes, como o seu, irão ser beneficiados se não há informação em relação a quais são os 13 que aderiram à iniciativa e não há nada a ser noticiado, a não ser no portal da câmara e na sua página do Facebook, relativamente a este evento. Para que fosse proveitoso para a restauração local, que bem precisa de apoio, não deveria ter sido este evento anunciado com antecedência e não apenas na semana anterior?

    • Também acho que o principal problema desta Câmara é a falta de comunicação. Quanto ao resto, acho louvável a semana gastronómica a decorrer nos restaurantes, que para além do benefício financeiro talvez lhe traga alguma competitividade de que todos beneficiemos. Não vejo em que pode ficar prejudicada a organização da Feira da Gastronomia, em pleno Inverno, antes pelo contrário, quanto mais hábito destas organizações, mais beneficiarão todos os participantes. A concorrencia, que não é o caso, é sempre salutar e traz sempre mais beneficios que prejuizos.

  5. Estamos a viver momentos que mais parece “Alice no País das Maravilhas”.
    É bom recordar os mais desatentos que ainda em finais de 2012 a Coletividade de Casal Galego se debatia com a falta de apoio por parte da Autarquia para semelhante iniciativa. Esse apoio veio “tarde e a más horas” quase colocando em risco a realização da Feira de Artesanato e Gastronomia.
    Agora, sem que ninguém o espera-se, a Câmara abre os cordões à bolsa e tira uns milhares para ela própria avançar com a realização de uma iniciativa populista, oportunista e eleitoralista.
    O que virá mais por aí.

  6. Como declaração de interesses, devo dizer previamente que, ao contrário de 2005, não apoio esta maioria para novo mandato, por razões que me dispenso de comentar aqui. De qualquer forma, o post parte de pressupostos errados.
    O que a Colectividade de Casal Galego organiza é uma “FEIRA DE ARTESANATO E GASTRONOMIA”. No caso da gastronomia, os restaurantes que participam são todos de fora do Concelho e fazem-no aqui, como o fazem noutras feiras por todo o País e continuarão a fazer.
    No caso da “Semana Gastronómica”, que não é invenção deste executivo, o que se pretende, acho eu porque já assim era, é pôr a Câmara a criar condições para animar e incentivar os industriais de Hotelaria a promoverem os seus estabelecimentos, usando ferramentas de promoção turística que são únicas, como o famoso Arroz de Marisco, mas também os nossos pratos de peixe.
    Oxalá os empresários do ramo se empenhem no sucesso da iniciativa, que será também o seu e, sendo assim, esteve bem a Câmara a organizar este evento.

    • Caro A. Constâncio. Nós, ao contrário do que refere ser a sua posição, não apoiamos nem deixamos de apoiar esta maioria. É-nos indiferente.
      Como deverá ter já percebido, desde há muito que nos queixamos do abandono a que a terra está há muito votada pelo que qualquer iniciativa que apareça é sempre vista com bons olhos. Não deixamos de achar estranhas algumas coisas.
      Com base no que refere, ajude-nos a perceber algumas coisas, que nos poderão ter passado ao lado.
      Refere que a Semana Gastronómica não é invenção deste executivo. Porque razão é chamada de “1ª semana gastronómica”?
      Concordamos que deve ser feito tudo para dinamizar os estabelecimentos do concelho de restauração. Porque só fazer agora?
      Devendo ser usadas todas as ferramentas de promoção turística, porque não foi anunciado com a antecedência devida, já que apenas em 31 de Maio se soube da iniciativa?
      Em que consiste esta iniciativa, quem está envolvido, em que moldes irá decorrer? Do que foi anunciado, pouco se consegue saber.
      Poderemos ter partido de pressupostos errados e não rejeitamos poder mudar de opinião, mas estas questões, entre outras, deixam-nos com dúvidas quanto à real intenção da iniciativa.

  7. O nome do evento pouco importa. No passado chamavam-se “Concursos de Gastronomia”. A Câmara convidava, exigindo sigilo absoluto, algumas pessoas para júri, que percorreriam todos os restaurantes inscritos e depois de analisada a pontuação, os pratos eram premiados.
    Já quanto às questões que levanta sobre a forma como se anuncia e se promove, penso que tem razão, mas isso reforça a ideia de que não se trata de mero eleitoralismo, porque se o fosse, a publicidade e propaganda teria sido de peso.
    Sinceramente acho que o período para o fazer é o adequado (Pré-férias)e também acho que se deve dar o benefício da dúvida quanto à bondade da iniciativa.
    Agora que a Câmara não sabe comunicar, isso parece incontestável.

    • Caro A. Constâncio. É nisso que divergimos de opinião. O nome tem toda a importância. Pelo que sabemos, e esta a ser anunciado, apenas irá haver concurso de “sopa do vidreiro”. Parece-nos que se a intenção fosse manter o que já havia, manter-se-ia a designação.
      Quanto às intenções, só eles saberão. As nossas dúvidas mantêm-se quanto à bondade da iniciativa porque, apesar de darmos sempre o benefício da dúvida, todos sabemos que a oposição e os movimentos independentes estão atentos caso surjam grandes campanhas cujo eleitoralismo não se consigam disfarçar.
      Mas ficaremos atentos e esperamos que, quando for a data da realização da FAG, não surja um qualquer argumento de que a câmara tem já uma realização semelhante para poder recusar o apoio. Se isso não acontecer, saberemos que errámos na apreciação de fizemos e seremos os primeiros a reconhece-lo.
      Quanto à comunicação, podemos adiantar que foi publicado apenas há uma hora, no Facebook, a lista de restaurantes aderentes.

    • Se não é com fins eleitoralistas, não li em lado algum que vai haver concurso e está a ser tão fracamente anunciado, qual a vantagem que os restaurantes vão ter se ninguém sabe o que vai acontecer?

  8. Por estas e outras é que continua a debandada do PS para os movimentos independentes. Agora já percebo o motivo do Martins da Moita também dar á sola.

  9. Gostava de saber quantas bestas anónimas que aqui escrevem é que vão comer e experimentar a restauração da Marinha Grande.
    Vão escrevendo sobre o que degustaram e o que apreciaram, ou não.
    Vão e digam, mexam-se porra.
    É pá não disse nada contra o aurélio, estou a ficar domado.

    • Caros anónimos das 23.29 e 09.24. Apesar dos comentários não terem sido corrigidos, sugerimos que quando quiserem comentar o façam sem terem espelho à frente para que não se refiram a quem aqui escreve tendo a imagem que vêem por referencia.

  10. Sou o anónimo das 9:24, por considerar e respeitar este site em todos os comentários que nele já efetuei, é que não resisti em responder à letra ao anónimo das 23:29. Se ele me considera a mim e todos quanto anonimamente se manifestam, mesmo que respeitando todas as regras da boa educação com o epiteto referido, só lhe fiz sentir que ele mesmo está incluído nesse grupo.

    • Caro anónimo. Poderemos ter interpretado mal o que quis dizer e, se foi com a intenção que refere, pedimos as nossas desculpas. Entendemos que não se deve dar importância a quem não a tem e, com inicio no dia 1 deste mês, comentários sem sentido, insultuosos, que procurem apenas atear fogueiras irão ser lidos com mais atenção antes de serem aprovados.

    • Claro que a censura prévia, a que já me referi à meses tinha que ser instituída!

      Como é obvio, considero este blogue uma pequena dose daquilo que se propõe.

      A partir de hoje não considero honesto ler o que aqui se escreve devido à contracultura fascizoide aqui revelada!

  11. O anónomo das 19:41 é da Moita e não sabe quem é o Martins?! Pois olhe que eu sou da terra dele (Marinha) e sei que ele vive na Moita e tem o cognome de presidente “o absoluto”, mas que não tem habilidade nenhuma para o desempenho do cargo, diz-se que é uma réplica do outro Álvaro. Fez bem em recusar recandidatar-se, teve esse mérito e ao mesmo tempo beneficia automaticamente da descolagem ao PS/Marinha.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário