MpM

Com os movimentos independentes em campo, as formas de actuação de uns e outros são tudo menos normais. É até provável que estejamos habituados ao que eram as campanhas dos partidos mas não podemos dizer que esta nova forma de fazer politica nos agrade. Quando visitamos a página oficial do movimento do Aurélio no Facebook podemos ver lá que na semana passada ele e os seus apoiantes andaram no Sábado num local e no Domingo noutros. Aquilo aparece ali como se isso nos ajudasse a perceber o que querem para a terra! Não ajuda! A presença naqueles eventos do MpM traduz-se em quê? Serem vistos? Em vez de nos dizerem o que querem fazer na terra e pela terra, vão-se entretendo a nos dar a conhecer que foram ver o rallye ou que participaram num cross que aqui teve lugar ou que estiveram noutro sitio qualquer. Se o Logrado aproveitou as marchas, o Aurélio aproveita outros eventos para dar a conhecer que existe e que está na luta pelo poder. Num e noutro caso, não estão a ser capazes de nos dizer como poderão ajudar a terra a sair do marasmo em que se encontra. Ainda não ouvimos dos independentes dizerem o que pensam sobre o mercado; sobre o que farão da Casa da Cultura ou da Resinagem; o que pensam fazer em relação à piscina; que destino darão ao Atrium ou mesmo como pensam articular-se com as diferentes juntas. Não significa que estejamos a receber indicações dos partidos do que irão fazer, mas os independentes têm, nesta matéria, um trabalho acrescido porque têm necessariamente que ser capazes de mostrar que são melhores que as máquinas partidárias que tentam combater. A resposta àquelas e muitas outras questões são as coisas que nos interessam e não tanto saber se o Aurélio esteve e gostou de ver o cross ou o rallye. Também nós lá estivemos e nem por isso daí resultou algum benefício para a terra! Deste fim de semana nada se sabe mas é provável que tenha ganho consciência de que nem tudo vale depois do que viu acontecer nas marchas. Resta saber para quando começarão a dizer o que querem para a terra porque, isso sim, interessa.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

14 comentários

  1. Do mal o menos. Tiveram respeito pelos clubes organizadores e o bom senso de não se aproveitarem do trabalho alheio para andar a pedir assinaturas e a dar tshirts. Valha-nos isso.

  2. Não vejo mal algum no facto dos elementos do MpM estarem presentes nos diversos eventos do Comcelho.
    Perturbaram o ambiente? Recolheram assinaturas ? Fizeram campanha? Estive lá e não constatei nada disso!
    Então e os partidos não estiveram lá? Ao ler o post parece que não. Mas não é verdade. Num outro post aqui do Largo ate foi referido que alguns estiveram na Tribuna de Honra.
    E Resinagem, casa da Cultura e Atrium refiram aqui, se conseguirem o que cada um pensa sobre o assunto.
    Se o fizerem, concordo com a crítica do post, caso contrário, permitam-me que discorde.

    • Caro anónimo. Vivemos num país quase livre onde cada um pode estar onde quiser. Não nos parece é que isso tenha que ser destacado como algo de relevante para o futuro da governação da terra. Tem razão. Não temos conhecimento que tivessem importunado alguém ainda assim queremos soluções para os problemas da terra e não saber onde cada um anda ou iniciativas sem sentido. O que pensamos aplica-se a todos os que estão na corrida ao poder.

  3. ..e o do chapéu não estava nesses eventos???
    Atenção, quem usar chapéu que não se candidate a coisa nenhuma, porque senão…!!!???
    Realmente a situação do País e do concelho são casos muito sérios que não ajudam a uma boa risada, valha-nos o L das calhandrices.

  4. Com os políticos que começam a ser aqui falados sugiro que mudem o nome do Largo para “Caderneta de cromos”. Só tínhamos que escolher o premiado.

  5. Mesmo com as varias afirmações de apartidarismo com quem este blog de descreve, não e possível deixar de notar o incomodo que estes movimentos causam.
    Sinceramente é por este blog que tenho ficado a saber da maior parte das actividades que os movimentos desenvolvem.
    Se a ideia é fazerem de espião duplo, parabéns!
    Senão deixo aqui uma expressão: “Qualquer publicidade é boa. Seja positiva ou negativa, é publicidade!”

  6. Que forma estranha de fazer campanha. Acabam por cair no ridículo. Tenho que dar razão ao curioso por este post. Nos artigos que fazem só dizem “Nós acreditamos”.Não passam disto.Mas acreditam em quê e em quem? Ideias para a Terra, nada. Em vez de se andarem a mostrar, com sorrisos enganadores, escrevam para dar soluções para a terra!

  7. São curiosos os comentários aqui colocados por parte de alguns mais ou menos anónimos sobre a postura dos movimentos (+ ou menos Independentes) que temos por cá e que pretendem ir a votos em Setembro em relação a presenças nos mais diversos eventos culturais, desportivos e sociais com o intuito de se poderem dar a conhecer ao eleitorado e poderem até recolher assinaturas, porque não?
    Pergunto – os aderentes destes movimentos não são cidadãos livres?
    São diferentes? Mudaram de rosto?
    Relembro os Anónimos que estamos em “Pré-Campanha” – é natural este tipo de movimentação, se os partidos (tradicionais) sempre fizeram uso destas iniciativas para marcarem a sua presença (falo de festas e rumarias por todo o Concelho, almoços e jantares de associações/clubes) para difundirem falsas promessas.
    É claro que este tipo de atuação dos movimentos é diferente, se é melhor ou pior? – Diferente é. Mas relembro que para estes movimentos há fatores diferenciadores em relação aos demais.
    E é também muito claro que as suas presenças e iniciativas (mais as do + Concelho) andam a incomodar muita boa gente ligada aos partidos do poder (PS, CDU e PSD).
    Chegar ao ponto de andarem a fazer queixinhas – é caírem no ridículo.
    Deixem os movimentos em paz.
    Façam o vosso trabalho, que nós, bem ou mal, vamos fazendo o nosso.
    Quanto às ideias – por aquilo que tenho vindo a ver, ouvir e ler, o + Concelho está a trabalhar melhor, tem vindo a discutir com as populações algumas temáticas/propostas (conselho da comunidade, orçamento participativo, PDM, desporto/movimento associativo, saúde, turismo, desenvolvimento económico/gabinete de apoio, etc…), estando agora a ultimar um documento/plano estratégico para o Concelho. Do MpM, pouco ou nada se sabe, falam em “acreditar”, mas para isso são necessárias propostas, falavam num plano a 25 anos, mas até agora – nada!
    Mais que a generalidade dos Marinhenses, alguns partidos estão na expectativa, também não avançam, estão todos esperando uns dos outros e principalmente do que pode vir destes movimentos.
    Vamos esperar para ver.

  8. Eu percebo o sentido deste post do curioso, o que interessa dizer “eu estive lá”, mas esteve lá a fazer o quê? a ver? mas os outros também lá estiveram, isso não é nada.
    Também acham muito engraçado estar lá porque nunca estiveram e agora em campanha é que resolveram ir aos eventos, o que os fez mudar de ideias? se nunca iam porque é que foram agora? isso não é a mesma coisa que andar agora a arranjar os jardins ou reparar as estradas? o que os distingue então dos partidos? E se perderem continuam a ir ou voltam para a sua vida e já não se lembram mais dos eventos até novas eleições?
    Não basta querer ser diferente, tem que se ser.

  9. O MpM andou hoje de megafone em punho pela Moita.
    Diria que é o MpM no seu pior, trazia como muletas o Alexandre e o Bernardo, dois simplórios sem credibilidade social e com passado sem história.
    Assim mais vale o Aurélio dedicar-se á pesca.

  10. Como vai o MpM explicar financeiramente aonde conseguir arranjar dinheiro para ter um carro de som (carrinha IVECO) toda decorada para usar na campanha eleitoral?
    Andou na Moita? A fazer o quê? Se não apresentou candidato aquela freguesia. Não é estranho isso?

  11. Estava parada junto do acampamento cigano. Será para recolha de assinaturas? Será para angariar uns votos?? Ou será que a sede de campanha vai mudar para o acampamento, não me admirava nada tem traços comuns.

    • Afinal a carrinha é uma “Mercedes” e tem estado parada em alguns cruzamentos do concelho, já em campanha eleitoral (algo que não está correto), tal como a CDU, que já andou a colocar por aí algumas bandeirolas nos postes. A Marinha no seu melhor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário