Concurso deserto

Categoria CMMG, Resinagem by Curioso15 Comentários


Apesar de atrasada e ainda apenas com a esperança que no final de Maio a obra esteja concluída, já que não há disso qualquer certeza, as obras na Resinagem irão ser concluídas mais dia menos dia. Para tentar dar ocupação àquele espaço, a câmara lançou um concurso público para ocupação de um dos espaços. O executivo camarário tem vindo a dizer que aquela obra será o que irá trazer vida ao centro que está como se vê. Mas, pelos resultados do concurso, será apenas a câmara quem vê naquela obra alguma perspectiva de poder ser aquele um pólo de dinamização do centro. Ninguém se mostrou interessado em ir para a Resinagem e o concurso ficou deserto! A câmara terá que fazer agora novo concurso, com novas condições e, seguramente, com preços mais baixos. Este simples facto vem demonstrar o quanto os munícipes acreditam no que ali irá surgir. Mas, o facto do concurso ter ficado deserto não traz, só por si, qualquer coisa de anormal ou que possa causar alguma surpresa. O centro da terra, tal como acontece em quase todo o resto do concelho, está deserto. Porque não haveria o concurso ficar igual? Até soava mal se assim não fosse! À medida que a hora de abertura das portas se aproxima começamos a sentir um formigueiro na barriga tal é a curiosidade de ver o que irá estar a funcionar e o que irá estar às moscas. 

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

Comentários

  1. Avatar

    O curioso sabe porque é que o concurso ficou deserto?? Porque os iluminados comunistas obrigaram o executivo a aumentar a renda. Ah pois é, e são eles comunistas. Jogada politica? ou viraram-se para o capitalismo? Muito cuidado com estes iluminados que nem fazem nem deixam fazer. Para mim o PCP é areia na engrenagem.

    1. Avatar

      Caro anónimo. Gostaríamos de lhe pedir ajuda a identificar a acta onde isso está expresso. Procurámos em todas as actas e não conseguimos encontrar nada do que refere. Como o erro deverá ser nosso, pedimos-lhe essa ajuda.

    2. Avatar

      Caro anónimo. Apenas para complementar o que dissemos, atrás, a única referência que encontramos é o que transcrevemos:
      “16 – CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DE UM ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS NO EDIFÍCIO DA RESINAGEM. ABERTURA DE CONCURSO PÚBLICO.

      39 – Tendo em conta que o edifício da antiga fábrica da resinagem dispõe de um espaço destinado ao funcionamento de um estabelecimento de restauração e bebidas;
      Tendo em conta que esta Câmara Municipal não dispõe de conhecimentos, nem de aptidão para assumir a gestão direta desse estabelecimento;
      Tendo em conta que é possível, através de um procedimento concorrencial, obter propostas de exploração no mercado, mediante condições que salvaguardem a prossecução do interesse público.
      Tendo em conta que importa iniciar o procedimento de concurso público de modo a que aquando da conclusão da empreitada estejam já reunidas as condições para o início da exploração do estabelecimento de restauração e bebidas.
      Presente Programa de Procedimento e Caderno de Encargos.
      Assim, a Câmara Municipal, nos termos conjugados dos artigos 16.º, nº. 1, alínea b), 21.º, n.º 1, alínea b), 38.º, 40.º, nº. 2, 67.º, nº. 1 e 130.º do Código dos Contratos Públicos, e do artigo 64.º, nº. 1, alínea q), da Lei nº. 169/99, de 18 de Setembro, na redação da Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, delibera:
      a) Tomar a decisão de contratar;
      b) Escolher o procedimento de concurso público;
      c) Aprovar as peças do procedimento (programa de procedimento e caderno de encargos), que passam a integrar o processo administrativo;
      d) Publicitar o procedimento no Diário da República;
      e) Designar o júri que conduzirá o procedimento, com a seguinte composição: Sandra Paiva, Miguel Crespo e Inês Marrazes (efetivos) e Pedro Jerónimo e Susana Silva (suplentes).
      Esta deliberação foi tomada por unanimidade.”

  2. Avatar

    Para a obra da resinagem ter sucesso devia a Câmara requalificar antes de mais o centro histórico. Plantar um edifício novo num “deserto” é para secar. O PS MG, senão a nível nacional, têm muita falta de visão. Tivemos o elefante branco chamado atrium, e este cheira-me que vai ser outro.
    É assim: é gastar o dinheiro de todos nós à fartasana em obras mal localizadas e mal pensadas, depois pedem “fortunas” incomportáveis aos potenciais comerciantes correndo estes o risco duma falência caso apostem. Foi o caso do mercado do atrium em relação aos vendedores habituais, alguns com mais de 20 anos de presença. Vaidade e caganeirice, não deixam saudade e é uma chatice.

    1. Avatar

      Olha um dos instigarores da revolta dos tendeiros! Que interessado que ele está em que os investimentos dos Xuxas tragam sucessos para o Concelho! É ele e o Curioso, que até parece feliz pelo deserto do concurso! Mistérios da natureza humana.

    2. Avatar

      Caro anónimo (das 10.27). Acredite que o que mais nos dava prazer era que a terra estivessem em crescimento rápido e os investimentos que estão a ser feitos tivessem o sucesso que mereciam. Infelizmente assim não é por razões que todos conhecemos.

  3. Avatar

    O primeiro anónimo deveria provar o que afirma. Se o não consegue fazer, aconselho-o a outra atitude: consulte um psiquiatra que é onde se tratam problemas como os seus.

  4. Avatar

    Estou mesmo a ver o Álvaro a cortar a fita na inauguração, as pessoas batem palmas e depois vão embora porque não há nada para fazer no edifício. Podem sempre ir à casa de banho beber água…

    1. Avatar

      Não me parece próprio ir beber água à casa de banho. Não estará lá ninguém, pelo menos a vender tremoços?

    2. Avatar

      Nem a vender tremoços! O Álvaro taxou a concessão para tremoços. A renda é um balúrdio.

  5. Avatar

    É verdade que foram os outros a solicitar o aumento dos preços pretendidos pelo presidente.

    Não vale a pena…estarem numa de virgens ofendidas.

    Depois de encravarem a engrenagem, defendem postos de trabalho,criação de riqueza e pessoas para o centro histórico.

    Nem uma independente aceitaram para cabeça de lista, quanto mais ideias e projectos dos outros, mais do mesmo.

    É para esquecer…

    1. Avatar

      Caro anónimo. Voltamos a pedir a colaboração no sentido de nos indicarem qual a reunião de câmara onde isso foi exigido para que possamos ficar esclarecidos.

    2. Avatar

      Não sei se a taxa para a utilização do espaço é alta ou não, se foi o PCP que a propôs ou não. Todos sabemos quem tem um gosto especial por aumentar taxas… Que eu saiba foi este executivo.
      Mas falando sobre o tema, é óbvio que ninguém se vai candidatar ao espaço sem saber o que lá vai haver, se vai ter clientes ou não, ou condições de acesso… Não esqueçamos que os estacionamentos à volta são todos pagos. Este concurso da câmara é que não faz sentido nenhum! É quase o mesmo que comprar um pedaço de céu, para quando morrermos…

  6. Avatar

    O desespero do PS é tal que mentem descaradamente, só falta virem dizer que os comunas comem criancinhas ao pequeno almoço. Não há pachorra!

Deixe um comentário

  
Please enter an e-mail address