ÁlvaroCMMG

Qualquer munícipe que se interessa pelos destinos da terra deve ter curiosidade em saber como decorrem as reuniões, qual a postura de cada vereador e se cada um deles leva o trabalho já feito de casa e lá apenas passam um tempo na conversa ou se, pelo contrário, são debatidos os assuntos até à exaustão. Também nós tivemos curiosidade de saber como funcionavam. Pelo que conseguimos apurar, as reuniões vão mais ou menos preparadas por cada um dos vereadores uma vez que as minutas das actas são-lhes enviadas previamente. O que fica por discutir, sem preparação prévia, são os assuntos fora do que está agendado. Quando tentamos saber qual o papel de cada um, ficámos surpreendidos. Nas reuniões o Álvaro tem um papel apagado, como que se estivesse ali apenas a ver passar os comboios, fazendo apenas aquilo que lhe deixam fazer. Isso foi notório nas reuniões de explicação do orçamento municipal em que quase entrou mudo e saiu calado. Tínhamos a ideia de que ele seria um dos mais interventivos mas, pelo que soubemos, não é. Esta postura, se não lhe dá muita dor de cabeça, tem, no entanto, uma desvantagem grande: ver passar os comboios só não será um problema quando não se está no meio da linha. Se há quem, dentro do PS, não veja no Álvaro a melhor escolha para as próximas eleições, uma postura como a que agora tivemos conhecimento poderá estar a colocá-lo, sem querer, no meio da linha e levar a que seja abalroado pelo comboio que se chama Vicente. 

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

15 comentários

  1. O Dr Álvaro é um homem sério e honesto mas na câmara faz o que lhe mandam e o que a patroa deixa que ele faça. Não tem perfil para o cargo que ocupa.

    • Caro anónimo. Nunca pusemos ou pomos em causa a seriedade ou honestidade do homem, que muito prezamos enquanto cidadão. Tudo o que escrevemos é em relação ao político, ao cargo que ocupa e ao seu desempenho, como aliás em relação a todos aqueles a que nos referimos.

  2. este curioso devia ir para a selva é o lugar dele. Quer protogonismo com este blog mas lhe dá importancia, porque sabem o mentiroso o falso que é. è um lobo com pele de cordeiro. Todos os interesses e boas intenções pelos marinhnses são falsas. Quer protogonismo atras de um Pc. Dái se vê a cobardia. Cuidado com todos os colaboradores do LC.. este Macaco é falso.

  3. Estão para aqui uns comentaristas que até parecem a fina flor do entulho.
    Só dizem mal mas não fazem nada de nada para bem do concelho.
    Façam algo de util e arranjem uma comisssão de ajuda aos mais necessitados.
    Os meus agradecimentos.

  4. Senhor curioso, não gostei “Tirando os erros de ortografia” . Será que o Senhor tão informado, conhecedor de tudo e de todos, não sabe que há pessoas que têm problemas de dislexia? Também não sabe, como é que está e o que foi feito no ensino no nosso País, neste aspecto a culpa foi do “EDUQUÊS, faça alguma coisa para acabar com esse fenómeno.

    Maria

    • Caro Anónimo. Lamentamos que não tenha gostado. Pode ser defeito nosso mas quando nos chamam de mentirosos, lobos com pele de cordeiro gostamos que o façam de uma forma a que não pensemos que quem está a escrever não só não sabe o que diz como não sabe escrever.
      Mas tem razão. Há pessoas com problemas de dislexia. Estranhamos é que isso não se note quando procuram atacar o que aqui se escreve! E sim, sabemos o que tem sido feito de mal neste país em termos de ensino. Temos que dar graças aos sucessivos governos que têm criado o abismo para o qual fomos atirados.

  5. Acrescento, nem todos pudemos andar em boas escolas, nem todos tivemos bons professores, no meu tempo, o ensino obrigatório ia até à 4ª Classe.
    Não sou muito letrada, dito e o meu vizinho escreve, porque eu não percebo, infelizmente, nada destas tecnologias, portanto um pouco mais de tolerância e menos arrogância para quem tem as suas dificuldades não ficava nada mal.

    Maria

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário