Natal

Há uns dias ficámos contentes pelo facto de termos tido conhecimento que aqui na terra havia quem se preocupasse com a possibilidade de ser dada alguma cor à terra neste período de Natal. Ficámos expectantes para ver o que iria aparecer. Hoje, quando passamos pela rotunda, a nossa curiosidade ficou satisfeita. A árvore de Natal já lá está! Bom, árvore de Natal é como quem diz! Lá está uma estrutura alta, com meia dúzia de “ramos” e duas dúzias de garrafas. Acreditamos que ainda possam ser colocadas mais algumas mas, mesmo que assim seja, ficamos sem perceber muito bem o que é aquilo! Não que queiramos tirar o mérito da iniciativa mas não conseguimos deixar de achar que, às vezes, é melhor não se fazer nada! Ficamos com a sensação de que aquela “árvore” está para o Natal como limão está para o açúcar Nada tem a ver! A ideia até era boa e começamos a imaginar que a tal árvore até poderia vir a ter umas centenas de garrafas que seriam uma forma de prestar homenagem aos homens e mulheres que durante as suas vidas trabalharam o vidro. Acreditamos que as garrafeiras não teriam problema em poder emprestar as garrafas porque no final os “enfeites” poderiam ser devolvidos. Mas até entendemos! Numa terra que está cada vez mais moribunda ficaria mal algo que fosse diferente do que hoje vimos!

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

25 comentários

  1. Aqui esta a prova que o macaco critica tudo o que é feito na cidade. Se não fazem é porque não fazem se fazem é porque esta mal feito. Acho o macaco ou macaquinho para os amigos deveria de ir ou psicólogo ou melhor ao psiquiatra.

    • Mesmo que os assuntos tratados por vezes sejam da vida pessoal de alguém ou que sejam mentira… Também acho! A Marinha Grande no seu melhor! Quanto mais baixo for o assunto e quanto mais mal podemos falar de alguém, melhor! Um viva à calhandrice de baixo nível!

    • Caro anónimo. Tem alguma razão. Aqui vê-se um pouco do que é a terra. Curiosamente, as preocupações dos que aqui passam é mais para nos atacar do que comentar assuntos de verdadeiro interesse para a terra. Veja que há assuntos de interesse que não são comentados!

  2. Parabéns aos autores e executantes da Árvore de Natal.
    Podemos até não gostar mas foi feito concerteza com a melhor das intenções.
    Venham de lá mais iniciativas do género.
    Como sugestão – no próximo ano, a realização de um concurso de
    Presépios pelo Concelho ou a melhor decoração exterior (residencias/comercio).
    A todos um Santo Natal.

  3. A árvore hoje está mais composta mas é fraquinha.
    Os promotores da ideia estão de parabéns por a terem tido mas o resultado fica muito a desejar.

    • Aproveitando este comentário deixem-me dizer que concordo, na realidade ficou muito aquém das minhas expectativas. O local tem muito ruído visual e ver algo dentro de um pavilhão não é a mesma coisa que depois ver num enorme espaço aberto, parecia ter muito mais impacto vista ao perto.
      A falta de iluminação também ajuda, estava reservado para 6ª feira dar o acabamento final mas o mau tempo não ajudou, vamos tentar na 2ª feira reparar a estrela que deveria acender e colocar luzes na árvore.
      Parece-me que a ideia tem pernas para continuar, (pena não ter resultado já este ano) e para o ano ela poderá ser de novo montada com mais braços, e por exemplo, com a colaboração das escolas na elaboração de elementos de decoração.
      Como informação, e para que conste, a árvore foi montada quase a zero custos directos.
      – O poste foi oferecido por uma empresa de instalações eléctricas.
      – A mão de obra da estrutura de suporte foi oferecida e depois o sr. fica de novo com o metal utilizou.
      – As garrafas foram dadas por uma vidreira da terra
      – A madeira foi dada
      – Os holofotes são da câmara
      – foram gastos cerca de 50€ em cabos de aço, cola para as garrafas e acessórios
      – Possivelmente serão gastos este fim de semana cerca de 100€ em material de iluminação
      – Estas despesas serão cobertas pelo Rotary Club da Marinha Grande
      – Toda a mão de obra é da CMMG .

      Carlos Carvalho

  4. Opa!!!Que ofensa para a nossa tradição Marinhense.E a mim bisneto de Marinhenses.
    Mas que porcaria depenada puseram ali na rotunda.
    E os vasos?…..opa que falta de gosto provinciano.
    Opa…mais valiam estar quietos.
    Hoje trouxe uma Mulher Leiriense para minha casa.
    E ela quando viu aquilo, não parou de rir até chegar a minha casa.
    Que vergonha.
    Parabéns a quem ganhou umas coroas com aquela aberração.
    PJSC

  5. Concluindo:
    Mais valia porem lá invés daquela “coisa”(sem ofensa as coisas), um presépio com uma vaca e um jumento verdadeiros.Pelo menos faziam algo de útil. Fertilizavam aquele solo.
    PJSC

  6. Caro Carlos Carvalho,
    Parabéns pela iniciativa.
    Sendo, o nosso concelho, tão pobre em iniciativas camarárias que visem o fortalecimento da identidade colectiva concelhia, é bom saber da colaboração estreita entre a Câmara e o Rotary Club.
    Como ainda faltam muitos dias para o natal e tendo em conta a capacidade de trabalho das duas entidades, estou certo que a árvore ainda vai melhorar muito.
    Se for necessário ajuda, diz.
    Abraços.

  7. Povo mal agradecido. O Macaco ainda critica ser a Câmara a oferecer a mão de obra, se a câmara não ajudasse em nada é porque não ajuda, se disponibiliza a mão de obra, os criadores da ideia deveriam escolher outra instituição que desse apoio. Macaco de uma vez por todas assuma-se vá lá bater à porta do Cruz que ele faz de si um candidato. Mas digo-lhe se fizer da sua candidatura como faz da folha de alface é melhor estar quieto.

  8. Macaco, se todos os projectos ficassem bem feitos isto era um paraíso. O problema não é esse, o macaco é que mete logo as culpas na Câmara e nos seus trabalhadores. Tentar não custa e deve-se apoiar quem tenta.

    • Caro anónimo. Talvez por sermos um povo que se contenta com coisas que não ficam bem feitas que temos o país que temos!
      Quanto ao “meter as culpas”, apenas podemos responsabilizar quem executou os trabalhos. Foram funcionários da câmara e, salvo erro, uma engenheira que vimos durante três dias a executarem o trabalho na rotunda. Repare que nem dissemos nada quanto ao facto de ter demorado o tempo que demorou a ser montado nem fizemos comparação ao tempo que demoraria se fosse uma empresa privada a fazer!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário