UDL

Ontem estivemos a ver o quanto é a conta da luz e ficámos a achar que estamos a ser roubados. Pagamos cerca de cem euros! Pode-se até não achar muito mas quando sabemos que a câmara diz que quando o UDL estava aqui a jogar a conta da luz era de trezentos euros, não podemos achar que estamos a ser roubados. Mas, como sabemos que outras pessoas pagam mais ou menos isso, começamos a achar que as contas que a câmara apresenta não têm fundamento ou não são reveladoras do que aconteceu na realidade. Isso foi também o que o PCP achou na última reunião de câmara. Pelo que soubemos, o Álvaro entregou as “contas” referentes a um ano de utilização do estádio que couberam em duas páginas em papel não timbrado nem assinado! Mas as “contas” têm alguns dados interessantes. A câmara não tem dinheiro para nada, segundo diz, mas gastou trinta e cinco mil euros em cadeiras e vinte e seis mil em iluminação. São opções! Mas não se consegue ainda saber quanto foi gasto com água ou com o pessoal da câmara que estava la destacado ou mesmo as facturas que ainda não estão contabilizadas. Também não se sabe se algumas obras foram feitas pelo UDL porque esses valores também não aparecem! Continuamos a não conseguir entender porque existe tanta dificuldade em se dar informação exacta sobre o que aconteceu, quanto foi gasto e o que foi lá feito. Agora que se sabe que nada pode ser feito para obter o que quer que seja do UDL, pelo menos que se saiba como correram as coisas e que alguém assuma as contas, boas ou más! As dúvidas do PCP levaram a que, mais uma vez, tivessem pedido um relatório de auditoria devidamente elaborado. Vamos ver para quando!


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

9 comentários

  1. Ridícula a sua intenção de atribuição de culpas exclusivamente ao PCP, talvez porque os comunistas são o bicho papão e fazem comichão a muita gente, mesmo sabendo que a câmara é PS.

    • Caro anónimo. Ridícula poderá ser a sua dificuldade em perceber o que escrevemos. As dúvidas do PCP são as mesmas que qualquer munícipe que esteja atento ao assunto tem. Sugerimos que volte a ler o que escrevemos.

    • Caro Olharapus. Pensamos que as dúvidas que foram expressas são as que resultam de não ter sido. até agora, apresentado um relatório de contas em condições. Tudo o mais que se possa dizer é apenas para tentar mascarar a incapacidade da câmara em responder de forma cabal.

    • Não é assim como diz. O PCP deixou isto em reunião. Leia e tire as suas conclusões.
      “A – O “documento” não é apresentado em papel timbrado da Câmara e não é assinado nem pelo Sr. Presidente da Câmara, nem por nenhum dos vereadores, nem sequer pelo responsável da área financeira da autarquia;
      B – O “documento” de folhas 2 tem uma tímida assinatura que pensamos ser de uma funcionária da Divisão Financeira mas que não se identifica como tal;
      C – Embora para alguns possa parecer uma questão de pormenor, tal ausência de elementos formais essenciais, implica que o “documento” apresentado não é um documento autêntico e como tal não vincula nada nem ninguém e por tal motivo não tem qualquer validade legal;
      D – Esta falta de elementos essenciais poderá eventualmente ser geradora de interpretações diferenciadas, por elementos exteriores à Câmara Municipal;
      E – O “documento” apresentado é um mero plasmar de somatórios contabilísticos, carecendo de total explicação do seu conteúdo, o que o afasta completamente daquilo que se pretendia com a auditoria, isto é, a análise ao pormenor dos custos inerentes à vinda da UDL para a Marinha Grande;
      F – O “documento” é completamente omisso no que concerne nomeadamente às despesas de água e às despesas com pessoal, sendo que esta última rubrica é sempre bastante onerosa, pois falamos das pessoas necessárias para o funcionamento do Estádio em horários fora do normal funcionamento, para a sua limpeza, conservação, etc;
      G – O “documento” apresenta despesas de energia elétrica irrisórias se comparadas com as despesas de outras instalações desportivas concelhias. Na realidade, despesas de energia eléctrica de cerca de 300 euros mensais com a realização de jogos noturnos, faz-nos despertar, no mínimo, a curiosidade;
      H – Relativamente às despesas de investimento apresentadas de mais de 80.000 euros, sendo: 35.000 euros em cadeiras; 26.000 euros em iluminação; 6.000 euros em regularização do terreno; 7.800 euros em matérias-primas e subsidiárias diversas; 1.700 euros em equipamento eléctrico; 700 euros em balneários e 3.000 euros em trabalhos de tipografia, levam-nos inevitavelmente a questionar, se em tempos difíceis, onde a Câmara PS corta a torto e a direito, estas despesas eram fundamentais e prioritárias para o Concelho. Todos sabemos que não e só foram feitas por exigências de funcionamento do UDL;
      I – De acordo com as folhas entregues, as despesas de investimento não foram as que são apresentadas pois em nota de rodapé, somos informados que estas despesas são “até à presente data, sendo que ainda poderão existir facturas de 2011 por registar.”;
      J – Finalmente importa sublinhar que as folhas entregues (temos de chamar assim porque efectivamente não passam disso), são completamente omissas no que diz respeito às despesas de investimento feitas pelo UDL no Estádio Municipal;
      K – Sendo que o Sr. Presidente da Câmara afirmou que essas despesas existiram, os vereadores da CDU e os munícipes em geral, continuam à espera de ser informados sobre que investimentos foram feitos e quais os respetivos montantes.”

  2. Anónimo 23 de Setembro de 2012 20:22, estes senhores do PCP não sabem e não tem nada para pegar contra o actual executivo então arranjam estas “brincadeiras” para se entreterem. Como já disse querem fazer um caso onde não existe caso nenhum. Até acho que o problemas não esta nos números esta no timbre e no carimbo da folhas. Ninguém fala da projecção da Marinha Grande? Ninguém fala que o sintético é usado por centenas de pessoas? Uma zona onde existia saibro agora esta um campo que dá gosto. Metam a viola no saco, e deixem trabalhar quem sabe.

    • Deixar trabalhar quem sabe era o que queríamos que acontecesse mas não é o que se vê com esta câmara.
      Será que são todos desonestos e que não pensam que alguém, por culpa da câmara que não se acautelou, não recebeu a relva que agora é usada? Isso é desonestidade e aproveitamento.

  3. A única projecção que me lembro foi um jogo de futebol estar parado por falta de luz. E a vergonha que foi para a Marinha.

    Assim, de repente, é a única coisa que me lembro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário