ÁlvaroCastroCMMGLeiriaUDL

Depois das asneiras, vêem as acusações. De uma forma algo desavergonhada, o Bartolomeu disse ontem que a de Leiria “deve ser a única câmara de Portugal continental e ilhas que não apoia o emblema desportivo da cidade“. Aquele que tem gerido o clube do modo que agora se vêem os resultados, veio acusar o Castro de não dar apoio ao União. Por um lado, entendemos que ele possa achar que o Castro devia abrir os cordões à bolsa e por dinheiro no clube. Afinal, se conseguiu que o Álvaro acreditasse em si e afirmasse que era um acordo com pessoas sérias, porque não deveria o Castro fazer o mesmo! Mas nem todos são tão ingénuos e nem todos estão dispostos permitir que bens públicos sejam usados por entidades privadas que não pagam a quem devem, incluindo ao Estado. É que ainda está por perceber a legalidade de permitir que uma empresa, que não paga impostos, faça contratos para utilização de bens públicos com uma câmara! Esta acusação do Bartolomeu deverá ser entendida pelo Castro como um elogio porque não cabe às câmaras patrocinar clubes de futebol profissional. Para fazer isso bem basta a da Marinha! 


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

  1. Até poderia estar de acordo com o post se o Leiria tivesse trazido custos relevantes para o município e não tivesse trazido nenhumas mais-valias para o concelho.
    Mas não parece haver custos significantes porque o estádio aparentemente está igual aos anos anteriores por isso onde estão esses custos?
    As mais-valias não são fáceis de contabilizar embora sejam evidentes em algumas áreas.
    O marinhense tinha um campo velhinho e sem condições mínimas para as crianças praticarem futebol e agora tem excelentes condições apesar de se dizer que possa ser levantado.
    Se o campo for levantado pode ser que mude de ideias mas por enquanto parece que não se perdeu nada com a presença do Leiria.

  2. @Anónimo Caro anónimo. Quanto às vantagens ou desvantagens do UDL ter vindo para a Marinha pensamos que a nossa opinião já foi por diversas vezes dada. É verdade que o ACM tem um relvado, por pagar, mas tem um relvado. Vamos ver durante quanto tempo! A questão, a nosso ver, mais importante, além dos custos (que acreditamos que a câmara nunca irá dar, pelo menos os reais) tem a ver com a cedência de um espaço de forma gratuita, porque, como referiu e bem, a relva está por pagar, a uma entidade privada, com fins lucrativos, que não cumpre as suas obrigações. Nós se quisermos fazer um muro para a câmara temos que apresentar uma certidão em como não devemos nada ao Estado. O UDL é o que se sabe e, ainda assim, utilizou de forma livre, sem encargos para si, um bem que foi pago com os impostos que nós, que aqui vivemos, pagámos. Em relação às mais-valias, estamos ainda à espera de ver quais foram.
    Referiu o Marinhense. Tem razão no que diz em relação à melhoria de condições, mas e os outros clubes? Porque razão deverá a câmara oferecer um relvado ao ACM se não o fez em relação aos demais clubes? Porque deverá o ACM ser beneficiado, quando se sabe que é detentor de património avultado (talvez mal gerido) e que recebeu uns milhares de euros. Porque deverá ser o único a receber? Isto são apenas algumas questões que nos vêem à mente.

  3. Mas também foi discutível o apoio do executivo da CDU ao SLM a quem deu 100 mil euros só para o sintético do campo da Ordem.
    Concordo que o ACM tem sido ao longo dos últimos 30 anos o clube mais beneficiado pela autarquia do concelho pelos interesses obscuros e cruzados PS/PCP e até PSD. Basta ver que o João Barros foi afastado por causa do híper que estava projetado para a Portela segundo o que ele afirma em todo o lado.
    O Marinhense recebeu depois da queda do Barros muitas dezenas de milhares de euros desse hiper e onde é que esse dinheiro foi parar? Esse dinheiro(800 mil euros) dava para fazer mais de 5 sintéticos e não se viu nem campos nem terrenos e o dinheiro desapareceu.
    Não posso estar mais de acordo com o curioso embora considere que as condições em que as muitas crianças da Portela praticavam o futebol eram uma vergonha para o concelho.
    Se o muito dinheiro que o ACM recebeu de entidades privadas e da autarquia não se traduziu em nada de visível ao menos o sintético e o arranjo do s muros da Portela vão perdurar durante muitos e muitos anos e por isso que até vejo vantagens na presença do Leiria porque não acredito que o sintético venha a desaparecer.

  4. @Anónimo Caro anónimo. O que refere em relação ao ACM vai ao encontro do que pensamos. Tanto quanto sabemos, a câmara não deu a quantia que refere ao SLM. Existiu essa promessa mas que depois não se veio a concretizar tanto que está a ser pago um empréstimo pelos directores e que tem o aval do Álvaro, o qual foi dado antes de ser presidente de câmara e por ser adepto do clube.

  5. AO Curioso
    Confirmo com absoluta certeza que o SLM recebeu 105 mil euros do Executivo do Dr. Cascalho.
    Se o SLM está ou não a pagar o empréstimo e quem deu aval não sei, mas é natural porque um sintético custa perto de 200 mil euros e o SLM possivelmente não tinha os outros 100 mil euros.

  6. O SLM recebeu os 105 mil euros da autarquia do PCP mas o sintético custou 190 mil pelo que foram os diretores que tiveram que dar o aval para o clube conseguir colocar um campo sintético que ainda falta pagar muito dinheiro.
    O ACM recebeu o campo e não teve que pagar mais nada pelo que é uma injustiça para o SLM.
    Mesmo que a autarquia tivesse que pagar o que falta pagar por parte do UDL seria sempre um valor inferior ao que apoio dado ao SLM pelo Cascalho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário