Depois do que hoje vimos, ou melhor, do que não vimos, começamos a achar que poderá haver alguma razão no que é alguma resistência da câmara em resolver o problema da sede dos Tócandar. Desta vez até houve alguma publicidade (até nós aqui falamos no que ia acontecer) mas não houve público. Passámos por lá. Confessamos que não somos grande apreciadores daqueles sons de repercussão mas pensámos que houvesse quem o fosse e até pensámos que éramos nós os incultos. Mas não! Tirando os moços dos bombos, hoje pouco mais gente lá estava. Acreditamos que há quem confunda aqueles sons com barulho mas acreditámos que houvesse quem gostasse e conseguisse dali tirar sons musicais. Pelos vistos não será tanto o caso. E, bem vistas as coisas, temos que reconhecer que o grupo aparece sempre em eventos onde eles são apenas mais uns e não atracção principal. Será que a câmara e o Álvaro têm razão em não perder muito tempo e dinheiro em arranjar-lhes uma sede?

Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

9 comentários

  1. Pouca gente gosta de os ouvir. Consegue-se por alguns minutos mas rapidamente se chega à conclusão que é a mesma coisa, com algumas variações.

  2. Ui… será que se tocou em algum ponto sensível da questão?
    Bem, sabendo que, aquele grupo de percussão, apesar de não ser mais do mesmo, é uma forma de atrair e cativar jovens, que de outra forma poderiam estar a fazer sabe-se lá o quê, se calhar até nem é muito mal pensado dar mesmo apoio a uma iniciativa deste género, sem olhar para outras vertentes da questão.

  3. “se calhar até nem é muito mal pensado”apoiar”sem olhar para outras vertentes da questão”?! Para além de acrescentar texto qual foi o objectivo deste comentário?
    Pretende- se que a autarquia tome decisões correctas, se se tiver por base os seus argumentos acha que será coerente? É com base em “apesar de não ser mais do mesmo”que pretende apoiar uma iniciativa que de facto, atrai e cativa jovens?
    Pois é… assim não vamos lá…mesmo!

  4. Pode ser que entretanto alguém componha temas para Tócandar e Big Band e depois quero ver se soa assim tão mal… Até as boas ideias devem ser sempre melhoradas, caprichadas, modernistas, em suma, serem projectos de progresso e trabalho construtivo.
    Este Projecto do Paulo Tojeira peca por não ir um pouco mais longe na questão Musical. Mas talvez seja por não terem as condições para tal.
    De qualquer maneira é um projecto de que esta associação se deve orgulhar, e orgulha com certeza, os Marinhenses interessados.
    Eles pelo menos tem 4 Registos Discográficos! Onde está registado o trabalho do S.O.M (escola de Música) e das Orquestras de que a C.M.M.G tanto patrocina?
    Acho que se devia refletir nestas questões!
    Infelizmente continuo a ver picardias entre as ideias políticas das pessoas em vez do trabalho que de facto realizam.
    Por isso invoco Jorge Palma:

    “…Mas ao chegar a vez de cada um
    Trabalhar para o bem comum
    Aí começaram os dissabores
    E em vez de ficarem unidos
    Dividiram-se em mil partidos
    Lá no fundo, todos queriam ser
    Ditadores “

    Oiçam o original!

  5. Picardias de quem? Quem é que, não se cansou de andar sempre a espicaçar? Pensam é que somos todos parvos e que vamos atrás de tretas.

  6. A Camara apanhou o fraco ao Tocandar e agora brinca a seu belo prazer.
    E o Tocandar tem culpa porque não bateu suficientemente o pé a andou nas meias tintas a tratar o problema com a Camara.Esqueceu-se que aquela gente tem preconceitos politicos e quando pode descrimina.

  7. Orquestra Juvenil da Amieirinha sem ninguém! tocándar sem ninguém! orquestra Ligeira da Marinha Grande sem ninguém! bienal de Artes Plásticas sem ninguém. Devem ser tudo coisas de máqualidade… Ou então há um problema cultural que vai demorar vários anos a resolver!
    Curioso: não é “repercussão”. Diz-se percussão!
    E deixem-se lá de estar sempre a dar porrada nos putos. Ou então o que existe mesmo é vontade de os arrazar. Se têm qualidade ou não, não sei. Sei é que os Gaiteiros de Lisboa, o Roberto Leal, a Ana Moura e outros os convidaram para tocar e o que foram divulgando no Facebook e no Youtube não é assim tão mau. Lamentavelmente, todos temos grandes problemas com a cultura. Eu que escrevo, o Curioso e alguns outros!…

  8. @Anónimo Caro anónimo. Sabemos que são sons de percussão. Não houve engano na escrita. O que esperávamos é mesmo que os sons tivesses repercussão mas não! Ficaram-se mesmo só pela percussão.
    E não queremos nem damos porrada em ninguém. Apenas não gostamos quando se faz muito alarido, seja aqui, seja no Facebook em diversos locais e depois, quando as pessoas podiam aparecer, não se vê ninguém!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário