Sem solução à vista

Algum tempo passado desde que a confusão teve início no seio do segundo partido da oposição, está-se ainda sem solução à vista. Aqueles que nada fizeram antes das eleições da concelhia, estão agora a tentar que as ideias do seu presidente não vão para a frente. Depois de ter sido colocado o lugar à disposição por parte do vereador em exercício, torna-se evidente que as relações entre o vereador e o presidente da concelhia não serão de confiança ou proximidade. Ao mesmo tempo, a distrital não quer perder o trunfo que ganhou há três anos mas não será de esperar que o Santos volte atrás depois do que aconteceu. O assunto pode estar assim nas mãos do presidente da assembleia da concelhia e do ascendente que sempre teve sobre o Cruz. Defendem alguns que, apesar de o Cruz estar já a fazer convites para integrar a lista e ter já muitas recusas, a solução passa pelo afastamento do presidente da concelhia como forma de ultrapassar o imbróglio por si criado. Começa a parecer uma novela sem fim à vista mas que, com o aproximar das eleições, começa a preocupar aqueles que viam num bom resultado do PSD a possibilidade de a actual oposição fazer frente ao PS. Há aqueles que dizem que tudo isto é bem feito para todos aqueles que se estiveram a borrifar para o que acontecia! Quem estará a delirar com esta situação será o PS que poderá ver assim o caminho facilitado para a reconquista da câmara.


Os apoios ao desporto

Tivemos acesso à proposta de comparticipação da câmara à actividade desportiva dos diversos clubes do concelho. Depois de lermos e vermos que o valor que a câmara irá distribuir é menor do que o ano passado, ficámos com dúvidas quanto aos critérios usados. Nota-se uma redução acentuada no financiamento de todos os clubes no que diz respeito ao futebol e um aumento nas outras actividades. Não que consideremos que o futebol deva ser privilegiado mas não conseguimos entender a razão de haver uma redução tão acentuada enquanto há aumento noutras actividades. Também não entendemos a razão de o andebol, que tem agora atletas com destaque, ter sofrido uma redução também ela significativa. Temos sempre dificuldade em entender este tipo de decisões quando não são dadas explicações que permitam que nós, meros munícipes que não têm mais informação do que a maioria dos demais, consigamos perceber a razão de existirem estas distinções. Tínhamos a ideia que a distribuição de apoios se fazia pelo número de atletas inscritos mas depois de vermos que, para cada tipo de modalidade, são entregues valores iguais, não conseguimos deixar de sentir que existirá aqui alguma injustiça. Os valores que irão ser entregues, deixamos para consulta aqui e aqui.